GRAU DE INVESTIMENTO

Rebaixamentos vão além da Petrobras

09/03/2015 17:08

27 empresas do país tiveram queda nos ratings, enquanto nenhuma apresentou alta nas avaliações.

Em 2015, 27 empresas do país já tiveram queda nos ratings. Foto: staras/Shutterstock.

Tamanho da fonte: -A+A

Na semana passada, o rebaixamento da nota da Petrobras pela agência de classificação de risco Moody’s chamou a atenção do pais. No entanto, o problema é pior, de acordo com um levantamento da Bloomberg. Nos dois primeiros meses do ano, 27 empresas do país tiveram queda nos ratings, enquanto nenhuma apresentou alta nas avaliações.

Para a publicação americana, a contagem ilustra o quão instável está a economia do Brasil e o quanto a situação da Petrobras afeta as empresas. De produtores de commodities a empresas de construção, praticamente nenhuma indústria foi poupada. 

Empresas de construção como OAS e Andrade Gutierrez tiveram seus ratings cortados depois de terem sido colocadas na investigação de corrupção de Petrobras. Produtores de açúcar, incluindo o Grupo Virgolino de Oliveira, e a Vale, maior produtora de minério de ferro do mundo, também sofreram rebaixamentos.

A Bloomberg afirma que a última vez que o Brasil teve uma onda de downgrades como essa foi em 1999.

"Este é um momento verdadeiramente único em termos de debilitação e finanças fracas. A expectativa é que os downgrades superem os upgrades de uma maneira que pode ser recorde em 2015. As perspectivas não são nada boas", afirma Joe Bormann, diretor de finanças corporativas para a América Latina da Fitch Ratings.

Das 82 empresas brasileiras avaliadas pela Fitch, 21 apresentam perspectivas negativas em suas notas, disse Bormann.

Os cortes de rating deste ano se comparam com os 46 que ocorreram no mesmo período de 1999, quando o rating soberano do Brasil foi reduzido em quatro níveis pela Standard & Poor. Na época, a crise financeira da Rússia levou os investidores a tirarem dinheiro de mercados emergentes.

Veja também

2015
Investidores esperam queda de 0,5% no PIB

A estimativa da dívida líquida do setor público ficou em 37,9% do PIB. 

GRAU DE INVESTIMENTO
Moody’s rebaixa nota da Petrobras

O rating de crédito corporativo da Petrobras foi rebaixado em dois graus (de Baa3 para Ba2).

PMEs
Governo lança programa Bem Mais Simples

Expectativa é reduzir o tempo médio para abertura de uma empresa de 83 para até cinco dias.

ELETRÔNICOS
Governo suspende Minha Casa Melhor

Entre os itens aceitos no projeto estavam PCs, notebooks e tablets.

ORÇAMENTO
Governo adia início das aulas do Pronatec

O programa teve o começo das aulas transferidos do dia 7 de maio para 17 de junho.

R$ 169 MILHÕES
Governo lança edital para videoconferência

Os equipamentos serão distribuídos entre de 61 órgãos da administração federal.