A rede de Ensino Marista adotou a plataforma Blackboard. Foto: Divulgação.

A rede de Ensino Marista adotou a plataforma Blackboard para ter um ambiente de sala de aula virtual. Hoje 16 colégios do grupo estão usando o canal de comunicação para professores e alunos, que permite enviar atividades, trocar mensagens e criar avaliações e testes.

Por estarem no mesmo sistema, diferentes colégios podem ser integrados através de um mesmo projeto, gerando comunicação entre alunos e professores de outras cidades.

Os treinamentos para professores também são feitos de forma unificada, com um grupo central, localizado em Curitiba, que é responsável por workshops e apresentações com práticas de uso do sistema.

Os colégios que estão mais avançados no uso da plataforma, pela adoção mais rápida de seus professores, são o Marista de Londrina, Marista Pio XII (Ponta Grossa), Arquidiocesano (São Paulo), Marista de Ribeirão Preto, Maristinha (Brasília), Maristão (Brasilia) e Marista Glória (São Paulo).

“Com a instalação já finalizada em todos os colégios, o avanço no uso depende de cada professor. Além disso, há a possibilidade de acesso via dispositivos móveis, que já está em uso em algumas escolas e pode ser utilizada por todas a partir do interesse de cada docente”, explica Pavlos Dias, gerente nacional de Operações da Blackboard.

O colégio Marista Arquidiocesano começou a utilizar a ferramenta da Blackboard em agosto de 2014, quando parou de usar a plataforma Moodle.

Atualmente a instituição de ensino paulistana tem cerca de 1 mil alunos do ensino fundamental e 700 do ensino médio utilizando o sistema.

A ferramenta tem apoiado professores na aplicação de testes, e auxiliado no processo de avaliação. Entre os usos do sistema está a criação bancos de questões, montagem de provas diferentes para cada aluno, e transmissão de feedback imediata.

O grupo Marista está organizado em três províncias no Brasil (Centro-Norte, Centro-Sul e Rio Grande do Sul). Todas as escolas do grupo Centro-Sul adotaram o sistema da Blackboard, atingindo aproximadamente 25 mil alunos.

A Blackboard, embalada pelo fechamento de contratos significativos, anunciou no final do ano passado a abertura de um data center no Brasil. No entanto, a empresa não divulgou prazo, local, investimento, ou qualquer outra característica do centro.

A companhia é representada com exclusividade no Brasil desde 2011 pelo Grupo A, editora de livros educacionais. Há 38 anos no mercado, a Grupo A – Artmed Editora até 2010 – é uma holding formada pelos selos editoriais Artmed, Bookman, Artes Médicas, McGrawHill, Penso e Tekne.

A Blackboard fechou o capital em 2012, após ser adquirida por US$ 1,64 bilhão por um fundo de investimentos. Em 2010, último ano para o qual existem dados públicos, o faturamento da empresa foi de US$ 447,32 milhões.