Mauro Bentes, diretor de TI da Multilaser. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Multilaser, uma das maiores empresas brasileiras do setor de eletrônicos, vai trocar o Protheus, um dos ERPs da Totvs, pelo S/4 Hana, da alemã SAP, com implementação da consultoria ITS.

Como a companhia utilizava o sistema da Totvs há cerca de 17 anos, a quantidade de customizações nesse período começou a gerar dificuldades na sustentação do ambiente de negócio da empresa — que saltou de um faturamento de R$ 300 milhões para R$ 6,5 bilhões no período.

A decisão de migrar para o SAP foi tomada no final do ano passado, depois da companhia fazer uma avaliação de soluções de ERP mais adequadas para sustentar tanto as áreas de negócio quanto o operacional da empresa. 

“O Protheus foi uma ferramenta muito importante para a gente. Ele nos ajudou muito a chegar onde chegamos, dada a versatilidade dele”, destaca Mauro Bentes, diretor de Tecnologia da Informação da Multilaser.

Mas, segundo Bentes, a avaliação foi que não valia a pena desenvolver novas ferramentas, quando soluções aderentes estavam disponíveis nativamente no SAP.

A primeira fase do projeto, que contempla levar os dados do Protheus para o S/4 Hana, está prevista para durar nove meses. Com a finalização prevista para a virada do ano, o próximo passo deve ser dado logo após a estabilização, que leva entre um e dois meses.

“Poderíamos fazer o projeto completo de uma vez, mas isso levaria um ano e meio, dois anos. Não é o nosso modelo de trabalho. Ao invés de ficar dois anos esperando acontecer, a gente prefere fazer um passo de cada vez, com um modelo MVP, e já ir aferindo resultados”, explica Bentes.

A partir daí, podem acontecer outras quatro, cinco ou seis fases, dependendo do andamento do projeto. Em uma delas, haverá a instalação do módulo de RH, com o processo de folha de pagamento e controle de ponto.

Quando essas duas funções forem implementadas, a empresa começará a incluir outras features, como a de treinamento, a de portal de serviços para o colaborador interno e a de recrutamento e seleção.

Como este módulo exige um nível alto de especialização, ele será implementado com a Intelligenza, integradora paulistana sugerida pela própria ITS.

O outro exemplo está na área de produção. A Multilaser pretende fazer com que o processo produtivo, que hoje é controlado pelo Protheus, esteja no SAP, além de integrar o sistema com o maquinário para criar automações no processo produtivo.

Uma dessas automações é fazer a leitura da máquina para ver qual é a disponibilidade dela e criar um planejamento de processo produtivo, assim como entender quando é preciso começar um processo de manutenção preventiva.

Já no processo de logística, a empresa pretende eliminar um software interno, que foi desenvolvido para que o Protheus conversasse com suas automações, e também substituí-lo pelo SAP, que já é capaz de conversar com elas de forma nativa. 

“É um projeto super audacioso e complexo, que mexe com toda a estrutura da companhia, envolve muita gente, quase todas as áreas de negócio, mais possivelmente com quatro parceiros implementadores do sistema trabalhando em paralelo com o mesmo objetivo”, conta o diretor de TI.

Para Bentes, o maior desafio do projeto está nas pessoas, na gestão de todo esse contingente — tanto do lado dos fornecedores quanto da equipe interna.

“Sendo bem honesto, a gente tem uma expectativa de sofrer, mas nada que gere impacto na operação. Queremos tentar sofrer o menos possível, nosso trabalho aqui é tentar minimizar qualquer problema e risco que possa acontecer ao longo do projeto, de maneira a fazer a virada no prazo estipulado com qualidade e sem colocar a companhia em risco”, projeta.

Antes de iniciar o processo, o diretor conta que fez bastante benchmark, com empresas como Elgin, Bauducco, Ajinomoto e Zaeli, para entender o quão felizes elas estavam e como foi a jornada de migração.

“Era muito comum ver que várias empresas investiram tempo, dinheiro e, no final das contas, tomaram a decisão de ir para o SAP. Então a gente resolveu encurtar isso, já que quase todas que eu conversei acabaram indo para a companhia”, conta o diretor de TI. 

Criada em 1987 para ser uma pequena importadora de copiadoras, a Multilaser se tornou um dos maiores players de eletrônicos e suprimentos de informática nacional, com as marcas Multilaser, Multikids, Multikids Baby, Pulse Sound, Atrio Esportes, Giga Security e Warrior.

Hoje, a empresa conta com um catálogo de mais de 3,5 mil itens distribuídos em mais de 30 mil pontos de venda pelo país. Sua estrutura conta com um escritório em São Paulo, um complexo industrial em Extrema, Minas Gerais, e um complexo de apoio em Manaus.

Fundada em 2002, a ITS Group é parceira Gold da SAP há mais de uma década. Com escritórios em Porto Alegre, Curitiba e São Paulo, conta com mais de 270 funcionários. 

Entre os seus clientes, estão empresas como Midea Carrier, Porto Seguro, Neugebauer e Grupo Femsa.