Foto: Flickr.com/kb35

Tamanho da fonte: -A+A

Uma fusão envolvendo três empresas acaba de criar um player mundial brasileiro no segmento de sistemas de gestão de empresas do segmento ferroviário.

O fundo Darby, braço de private equity da gestora Franklin Templeton Investments, comprou a ALL Rail Technology, subsidiária de tecnologia da América Latina Logística e fundiu a operação com a  Daiken Ferroviária, sediada no Paraná; e a Engesis Engenharia de Sistemas, do Espírito Santo.

A nova empresa, batizada de Alta Rail Tech (ART) e baseada em Colombo, município da região metropolitana de Curitiba,  nasce com clientes como a ALL, além das concessionárias de ferrovias MRS, FCA e Vale.

Ela atende também clientes como a Bombardier, a Rio Tinto e a General Eletric fora do Brasil, como em Moçambique, Quênia, Uganda, Austrália, Canadá e Estados Unidos.

A ART deve fechar o ano com R$ 50 milhões, número que os acionistas esperam triplicar em três anos.  Nos planos, 70% do faturamento de 2013 será oriundo de diversos clientes no exterior. A equipe tem 100 profissionais.

Os clientes totalizam de mais de 1.800 locomotivas, 32 mil vagões e 25 mil km de malhas gerenciadas.

“O modal ferroviário no Brasil deve continuar a expandir fortemente nos próximos anos como resultado das novas licitações planejadas pelo governo federal”, prevê o diretor-executivo da ART, Carlos Henrique Corrêa, executivo com 10 anos de ALL que foi o articulador da operação e é o novo CEO da ART.

O portfólio da nova empresa inclui computadores de bordo, módulos de comunicação, software para gerenciamento do centro de controle; sistemas de gestão de ativos e de indicadores de performance; sistemas de planejamento e gráfico de trens; sistemas de controle de manutenção de via permanente, entre outros.