Andrios Robert, founder e CEO da RunOps. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A RunOps, plataforma de colaboração de desenvolvedores, recebeu um aporte de US$ 1 milhão (cerca de R$ 5 milhões) em rodada seed com participação dos fundos Valor Capital Group, Global Founders Capital, Y Combinator, Liquid2, Quiet Capital e Share Capital.

Lançada oficialmente em janeiro de 2021, a RunOps é fundada por Andrios Robert, desenvolvedor que já passou por empresas como IBM, Telefônica Vivo, GFT Group e Pismo.

Ele criou a plataforma inspirado em dificuldades como barreiras no acesso a recursos, variadas ferramentas e credenciais, alto risco de interrupções de serviços com operações manuais em sistemas complexos, além equipes DevOps sobrecarregadas com pedidos pontuais.

O primeiro passo foi focar em segurança, promovendo a integração de mais de 30 recursos em uma única interface.

"Times de desenvolvedores muitas vezes utilizam a mesma base de dados para dezenas de recursos diferentes. Só a transferência desses dados representa um risco de segurança enorme. Imagine isso ocorrendo diversas vezes ao dia, por times diferentes, para recursos diferentes", explica Andrios Robert, founder e CEO da empresa.

Outro ponto foi a produção dos times. Segundo o empreendedor, o estado fragmentado que o mercado de gestão de acessos se encontra faz com que tarefas se acumulem e os processos se alonguem, afetando o ponto mais essencial desses negócios. 

“A produtividade dos desenvolvedores é a métrica mais crítica para as empresas de tecnologia. Com a RunOps, aplicamos unificação, segurança e otimização para eliminar barreiras e deixar que processos fluam", afirma Robert.

Com o aporte, a startup pretende investir no desenvolvimento do produto, adicionando novas integrações e cobrindo todas as principais tecnologias utilizadas pelas empresas atualmente.

Assim, a expectativa é chegar a 100 integrações até o final do ano para cobrir gargalos e promover maior produtividade nos times.

A Valor Capital Group destaca que as empresas baseadas em tecnologia historicamente possuem dificuldade para construir times de desenvolvimento robustos em função da falta de mão de obra e alta demanda, o que afeta seu crescimento.

“Neste contexto, precisamos criar condições para otimizar a produtividade dos times existentes. Essa é a principal função do RunOps, tornando a ferramenta peça-chave para o ecossistema de tecnologia e inovação", avalia Michael Nicklas, managing partner da investidora.

Para a GFC, a solução da RunOps permite o crescimento, descentralização e autonomia das áreas enquanto garante a segurança, sendo essencial para o sucesso de quase todas as empresas do mercado.

"A visão do Andrios e o propósito da RunOPS de democratizar o acesso dos times de DevOPS à infraestrutura é incrível”, afirma Guilherme Penna, principal do GFC na América Latina.

Fundada em 2011, a Valor Capital tem presença em Nova York, Vale do Silício, Rio de Janeiro e São Paulo, com uma estratégia "Cross-Border", buscando atuar como ponte entre os mercados Norte Americano e Brasileiro de tecnologia.