LIS / RIS

Pixeon: R$ 4 mi com Hermes Pardini

09/12/2013 15:31

O Hermes Pardini S/A está entre as três maiores no segmento de medicina laboratorial no país, com 39 unidades próprias.

Hermes Pardini é um dos líderes do mercado brasileiro.

Tamanho da fonte: -A+A

O Hermes Pardini S/A, grupo mineiro que é um dos maiores players do mercado de medicina diagnóstica e preventiva do Brasil, investiu  R$ 4 milhões para adquirir  sistemas de informação laboratorial e radiológica da catarinense Pixeon Medical Systems.

“O objetivo é, a partir da atualização tecnológica do Hermes Pardini, aumentar a integração, a eficiência dos processos e a qualidade do atendimento ao cliente na ponta”, afirma Ricardo Dupin, diretor das unidades de atendimento do grupo mineiro.

É um contrato e tanto. O Hermes Pardini S/A está entre as três maiores no segmento de medicina laboratorial no país, com 39 unidades próprias, sendo 35 de análises clínicas e quatro dedicadas ao diagnóstico por imagem, além da prestação de serviço de apoio para mais de cinco mil laboratórios brasileiros. 

A empresa fechou 2012 com faturamento de R$ 500 milhões e pretende chegar a R$ 1 bilhão até o final de 2015.

Os sistemas de LIS e RIS, como são conhecidos no jargão da área médica, dispõem de ferramentas que facilitam o fluxo de trabalho da instituição (acompanhamento de status de tarefas, busca e registro de informações, reconhecimento de voz, suporte), aumentam a produtividade e geram segurança para os profissionais e pacientes. 

“Os laudos são gerados com mais agilidade e o sistema reduz ainda mais possibilidade de erros e problemas na comunicação entre médicos, laboratórios e o usuário. É uma tecnologia voltada para a segurança em todo o processo”, define Roberto Ribeiro da Cruz, CEO da Pixeon.

Com sedes em Florianópolis e São Bernardo do Campo, a Pixeon conta com  seus sistemas em 1,2 mil hospitais, clínicas e centros de diagnóstico de todos os estados brasileiros.

Em sua carteira de clientes, a empresa tem instituições como o Hospital São Camilo de São Paulo, Hospital de Câncer de Barretos, Hospital de clínicas da Unicamp de Campinas, Santa Casa de Porto Alegre, Hospital Santa Izabel e Alliar Medicina Diagnóstica, entre outros.

A Pixeon opera em um mercado com muito potencial de crescimento: Hoje há cerca de 40 mil empresas de medicina diagnóstica no Brasil e menos de 15% estão totalmente informatizadas. 

Não é à toa que a companhia vem captando rodada após rodada de capital. Em novembro, a Riverwood fechou um aporte de R$ 50 milhões até 2016.  A Intel Capital também é uma das acionistas, tendo feito dois aportes que garantiaram 23% da empresa.

Veja também

PARA ULTRABOOK
Catarinense PMS entre apps escolhidos pela Intel

Paulistas Zeroum Digital, Hive, SmyOwl, Mobjoy, Fashion.Me e Joystreet também foram eleitas.

DADOS AUTOMATIZADOS
Santa Casa: TI na UTI com Epimed

Sistema da empresa carioca automatiza gestão de dados de UTIs dos sete hospitais do complexo gaúcho.

ALIANÇA GIGANTE
Einstein, Intel, MS e Totvs juntas na saúde

Pesquisa da Sociedade Brasileira de Informação em Saúde indica que o Brasil tem sete mil hospitais, dos quais só 19% estão informatizados. Parceria pretende preencher esta lacuna.

SAÚDE
GE Healthcare compra Omnimed

Divisão de saúde da multinacional comprou fabricante mineira de equipamentos que monitoram funções vitais de pacientes em hospitais.

R$ 35 MILHÕES A MAIS
TI eleva receita de hospitais de SC

Projeto de automatização conduzido pela empresa catarinense elevou a receita de 14 hospitais públicos do estado, segundo levantamento da Secretaria de Saúde Estadual.

UMOV.ME
Santa Casa gere leitos com mobilidade

Aplicativo móvel da companhia será usado por 350 funcionários das áreas de higienização e hotelaria.

SETOR
Abes: empresas usam pouco fomento

44% disseram não conhecer o suficiente as fontes de verbas disponíveis no país.

SAÚDE
Pixeon: aporte de R$ 30 mi da Riverwood

O aporte é a primeira parte de um investimento da Riverwood que totalizará R$ 50 milhões até 2016. O tamanho da fatia adquirida não foi revelado.