Stratasys tem capital aberto na Nasdaq.

A Stratasys acaba de promover Edy Souccar, ex-diretor de operações e consumíveis para América Latina da empresa de impressão 3D, para o cargo de general manager da Stratasys Brasil.

Souccar entrou na empresa em fevereiro, vindo da multinacional israelense de agrotóxicos Luxembourg Industries.

O profissional nasceu no Brasil e, em meados dos anos 90, mudou-se para os EUA para cursar Science in Economics and Business Administration na Boston University. Em 2000 passou a morar e trabalhar em Israel, país sede da Stratasys. 

Além do Brasil, o Souccar lidera a área operacional da Stratasys no México, Uruguai, Chile, Argentina, Colômbia, Venezuela, Equador e Peru. 

Até então, a operação no país era liderada por Renata Sollero, com o cargo de gerente de território. Renata era oriunda da operação da objet, na qual respondia como gerente regional para a América Latina.

O anúncio é mais um passo no reforço da gigante de impressoras 3D no Brasil, onde a empresa entrou em 2012, após adquirir a concorrente Objet. Uma das maiores revendas no país é a gaúcha SKA, de São Leopoldo.

Em março, a empresa anunciou a contratação de Rogério Braz de Quadros, um dos fundadores da Robtec, representante brasileira da fabricante 3D Systems, para ser seu novo gerente de mercados verticais.

O executivo gaúcho tem mais de 20 anos de experiência no universo de impressão 3D. Antes de criar a Robtec, Quadros atuou na Sycad e na Steinbichler GmbH América do Sul

Apesar de todo o hype em torno do mercado de impressão 3D, no qual a Stratasys é um dos maiores players, a empresa ainda está apanhando para dar lucro. 

A companhia encerrou o terceiro trimestre com prejuízo de US$ 31,3 milhões. O valor representa uma alta de 374% em relação a perda de US$ 6,6 milhões registrada no mesmo período do ano passado.

A receita total da companhia, por outro lado, cresceu 62%, passando de US$ 125,6 milhões para US$ 203,6 milhões.