Ronaldo Miranda.

A Arrow ECS fechou um acordo com a Huawei para distribuir no país a linha enterprise da multinacional chinesa, composta por soluções de networking, servidores, storage e software e serviços.

Com o novo parceiro, a Huawei amplia seu canal de distribuição no país, que até então era formado por WDC, Intersmart e CLM.

A Huawei já oferece treinamentos no Brasil e estenderá o calendário de cursos e workshops às revendas da Arrow. 

O aumento do canal é parte da aposta da Huawei no Brasil, que começou a agosto a atuar com autonomia dentro da organização.

Em 2014, a empresa teve um faturamento de US$ 1,5 bilhão no país. Globalmente, a empresa tem uma receita de US$ 46,5 bilhões.

Esse é o segundo acordo de peso da Arrow no país nas últimas semanas. No final de novembro, a empresa se tornou a primeira distribuidora no país dos equipamentos de storage da Fujitsu para os segmentos mid e high-end. Em agosto, a empresa já havia agregado a EMC.

A Arrow é uma das gigantes do segmento de distribuição em nível mundial e entrou no mercado brasileiro com a compra da CNT em agosto de 2014. A marca Arrow ECS foi adotada em agosto deste ano.

A nova assinatura corresponde à divisão de Enterprise Computer Solutions (ECS) da empresa, um negócio que rende US$ 8,5 bilhões anuais à multinacional. A empresa é comandada por Ronaldo Miranda, que asiu da Officer, em maio para comandar o novo negócio.

"Não vamos perder o legado da CNT, que tinha uma presença forte em redes, mas trazemos ao país uma atenção grande ao mercado de data centers, com ofertas de storage e servidores. Segurança e virtualização também serão focos", destacou Miranda em entrevista ao Baguete em agosto.

Ao todo, Arrow trabalha com mais de 4 mil canais no país. A empresa já tem São Paulo um centro de capacitação para seus parceiros, oferecendo certificações em Citrix e VMware. O plano da multinacional é agregar novas marcas à esta oferta, começando pela IBM.

A empresa tem sede em São Paulo e já está em vias de abrir escritórios em Brasília e Rio de Janeiro. Belo Horizonte e Porto Alegre também devem receber unidades da distribuidora em breve.

Outra proposta que a Arrow deve trazer para o país é o ArrowSphere, programa de venda de soluções via cloud que a empresa já tem no exterior. No Brasil, distribuidoras como Officer e Ingram Micro iniciaram recentemente ofertas do tipo.

Com uma estratégia de longo prazo, a Arrow cheta no Brasil em um momento complicado para o segmento de distribuição. Segundo dados da Associação Brasileira dos Distribuidores de Tecnologia da Informação (Abradisti),  o segmento deve fechar o ano com uma queda de mais de 8%, R$ 11,5 bilhões neste ano.

É um agravamento do quatro do ano passado, quando a queda foi de 5%.

Entretanto, a movimentação da companhia segue o de outros grandes players internacionais de distribuição, que investiram para acelerar no Brasil em um momento de baixa. No ano passado, a Scansource também investiu no país com a compra da Network1.

Em 2015, a Westcon anunciou uma reformulação de sua estrutura no Brasil, unificando a liderança de suas unidades de negócio e impulsionando o desenvolvimento de soluções voltadas a novos modelos de consumo - entre eles cloud e SaaS.