Renato Borges, CEO e fundador da Agrointeli. Foto: divulgação.

A revista MIT Technology Review destacou Renato Borges, CEO e fundador da Agrointeli, na lista dos 35 jovens mais inovadores da América Latina em 2020, na categoria Visionários.

Borges tem 28 anos e vem de uma família de produtores rurais. Ele começou a carreira em 2010 como analista de suporte, foi desenvolvedor no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e, em 2016, fundou sua primeira empresa, a Azul Tracker, especializada no rastreamento de animais.

No ano seguinte, após o negócio não dar certo, criou a Agrointeli, uma plataforma SaaS de inteligência artificial que centraliza, integra e organiza diversas fontes de dados em um sistema, conectando os agricultores às suas lavouras.

O sistema auxilia os agricultores em suas tomadas de decisões, conciliando por meio de algoritmos imagens aéreas, sensores, dados de máquinas, previsões meteorológicas, modelos agronômicos e atividades de dados em campo.

“Buscamos facilitar o entendimento de dados essenciais da lavoura. Nossa empresa gera inteligência, automação e otimização de processos, ajudando os produtores a tomar as melhores decisões na hora certa. Dessa forma, os agricultores economizam dinheiro e tempo", explica Renato Borges, CEO e fundador da Agrointeli.

Hoje o executivo lidera a empresa em 350 fazendas, quatro países e 18 estados brasileiros, com mais de 360 mil hectares processados pela plataforma por dia e mais de R$ 1 milhão em investimentos sob sua gestão. 

Em 2020, mesmo com a pandemia, a Agrointeli registrou crescimento de 500% em seus negócios.

Borges também atua como presidente do associação Startup MS, é embaixador no Brasil da organização global Thought for Food e faz parte do programa de aceleração Start-Up Chile.

O profissional é mestre em ciência da computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e bacharel em engenharia da computação pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). 

A versão em espanhol da MIT Technology Review reconhece jovens com menos de 35 anos há mais de uma década nas categorias inventores, empreendedores, visionários, humanitários e pioneiros.

Nos Estados Unidos, o prêmio já antecipou o sucesso de grandes empreendedores na área de tecnologia, como Mark Zuckerberg, do Facebook, Sergey Brin, do Google, e Max Levchin, do PayPal.