Governador Raimundo Colombo, Saulo Vieira (Sapiens), Moacir Marafon, Ilson Stabile e Carlos Augusto de Matos (Softplan) assinam lançamento da pedra fundamental. Foto: divulgação.

A Softplan/Poligraph lança nesta quinta-feira, 10, a pedra fundamental de sua futura sede no Sapiens Parque, pólo de TIC localizado em uma área total de 4,5 milhões de m² – o equivalente a cerca de 417 campos de futebol, segundo as medidas da Fifa – em Florianópolis.

Há dois anos, a companhia havia anunciado o investimento para transferência de sua sede para o parque, mas e lá para cá, muito mudou: dos iniciais R$ 23 milhões anunciados para construir uma área de 15 mil m2 no polo, hoje são R$ 38 milhões para instalações de 28 mil m², com capacidade para abrigar 1,2 mil colaboradores.

“De início, investimos nas áreas mínimas então liberadas pelo parque, mas já pudemos expandir o projeto e isto é ótimo, pois nos permitirá unificar nossas operações, que hoje ficam dispersas em duas unidades no Parqtech Alfa, às margens da SC-401, e uma no centro de Florianópolis, além de nosso data center”, conta Moacir Marafon, diretor da Softplan/Poligraph.

O empreendimento, cuja inauguração nesta quinta conta com a participação do governador Raimundo Colombo, é o primeiro realizado em parceria entre o Sapiens e o setor privado.

A meta da empresa catarinense é concluir as obras civis, em andamento há 60 dias, em agosto de 2014. A partir daí, iniciarão as demais instalações necessárias para começar a migração de pessoal no fim do ano que vem.

Conforme Marafon, a decisão de investir na nova sede atende à perspectiva de crescimento da companhia, que em 2011, quando cresceu 40,41% e faturou R$ 98 milhões, anunciou um plano de se expandir o equivalente a 20 anos em cinco.

Meta que tem andado bem: em 2012, o faturamento subiu para R$ 144 milhões.

“Nossa meta de crescimento é baseada no nosso histórico recente. Só nos últimos cinco anos, quadruplicamos o número de funcionários”, exemplifica o diretor.

A Softplan/Poligraph atua em softwares de gestão desde 1990, e atende a clientes do Brasil, América Latina e Estados Unidos.

PARQUE
Ao longo de 2012, outros três empreendimentos, envolvendo empresas de Florianópolis, foram licitados pelo Sapiens.

Há também projetos de centros de pesquisa e desenvolvimento em parceria com universidades como a UFSC e outras instituições parceiras, o que contabiliza mais de 140 mil m2 em edificações em fase de planejamento, construção ou operação.

Em paralelo, o governo de Santa Catarina atua na infraestrutura viária, de energia, iluminação e saneamento, já em implantação.

O polo tecnológico situado ao norte da capital catarinense vem sendo implantado em etapas desde 2008, quando na chamada "fase zero” recebeu empresas de tecnologia e obras voltadas ao lazer, em um complexo denominado Arena Sapiens.

Ao total, a meta é alavancar investimentos da ordem de R$ 2,43 bilhão, incluindo terreno, infraestrutura e prédios, gerando cerca de 27 mil empregos diretos e 33 mil indiretos ao longo dos próximos 10 anos.