Dados entram pela porta da frente e saem pela dos fundos. Foto: divulgação.

Dados sobre aposentadorias do INSS estão nas mãos de empresas de crédito consignado, que estão ligando para os beneficiários para oferecer financiamentos antes mesmo que eles saibam da aprovação e algumas vezes inclusive informados do valores a serem recebidos.

A situação foi relatada pelo UOL. Em nota, o INSS reconheceu a possibilidade de vazamentos:

"O instituto reconhece que, no processo de tramitação de requerimento do segurado, é possível que exista o vazamento indevido de informações, e trabalhará de forma intensa para coibi-lo", informou o INSS por meio de nota.

O INSS disse ainda que começou um processo para tentar identificar “fragilidades dos fluxos internos de informação e procedimentos” em parceria com a Dataprev, estatal de processamento de dados da Previdência Social.

Ainda segundo o INSS, desde o começo da atual gestão, a metodologia de trabalho do órgão tem passado por uma reavaliação, mas ainda não é possível dizer quando esse processo será concluído.

Nas entrelinhas, é fácil entender que o problema não é de segurança na informação no sentido de inviolabilidade de sistemas a ataques externos, mas de um processo frágil que permite a funcionários venderem os dados.

Esse tipo de problema é disseminado. No começo do ano, a Polícia Civil desarmou um esquema que se aproveitava da fragilidade da política de segurança da informação no Detran do Rio Grande do Sul para fazer alterações fraudulentas na base de dados do órgão.

Fraudadores tiveram acesso a senhas de funcionários e fizeram  modificações nos registros de pelo menos 322 carros no Estado, causando prejuízo ao Detran, até o momento, de R$ 450 mil.

Empréstimo consignado é um bom negócio para as instituições financeiras: a parcela do empréstimo é debitada antes do pagamento para o aposentado, fazendo a operação ser muito segura.

Além disso, o empréstimo consignado pode ser parcelado em até 72 vezes (seis anos). 

Cada beneficiário do INSS pode tomar até nove empréstimos ao mesmo tempo, desde que, no total, comprometa no máximo 35% de sua renda (30% com empréstimo pessoal e 5% com o cartão de crédito consignado, que também é descontado direto da conta bancária).

Segundo o Banco Central, de 2017 até julho de 2018, foram concedidos aos beneficiários do INSS mais de R$ 106 milhões em novos empréstimos consignados. 

Isso cria um grande assédio sobre os potenciais clientes, que o INSS tentou coibir tornando proibido oferecer um um empréstimo do tipo durante os seis primeiros meses de recebimento do benefício. 

Os aposentados, porém, precisam esperar só 90 dias para ter acesso a esse tipo de empréstimo. 

Fica estabelecido um incentivo para as financeiras menos escrupulosas tentarem obter os dados dos aposentados o quanto antes e chegarem na frente das concorrentes, do modo que for necessário.