Phil Pead, presidente e CEO da Progress. Foto: Divulgação.

A Progress Software, fabricante de software de gerenciamento de aplicações, adquiriu a Modulus, fornecedora americana de plataforma como serviço (PaaS, na sigla em inglês) para desenvolvimento, hospedagem, implantação, dimensionamento e monitoramento em tempo real de aplicações usando as tecnologias Node.js e MongoDB. 

Os termos financeiros da transação não foram revelados.

A plataforma de nuvem Modulus Node.js e MongoDB é projetada para simplificar e acelerar o desenvolvimento da nova geração de soluções escaláveis​​, e aplicativos sempre conectados a empresários e consumidores, que são constantemente monitorados e otimizados para a melhor experiência. 

Segundo a declaração da Progress, a plataforma é ideal para dispositivos móveis em tempo real, SaaS, aplicativos sociais e big data que operam em dispositivos distribuídos.

A Modulus é oferecida como um serviço hospedado e também pode ser implantada por empresas em nuvens públicas, privadas ou híbridas, bem como em uma infraestrutura local.

Fundada em 2012, a Modulus tem mais de 450 clientes de todos os tamanhos e, de acordo com o comunicado da Progress, é líder na comunidade Node.js. 

A Progress diz que a incorporação das capacidades de PaaS da Modulus a seu portfólio vai permitir que ofereça agora um conjunto mais abrangente de soluções de nuvem, móveis, on-premises (nas instalações do cliente) ou como solução híbrida.

"Node.js e MongoDB estão cada vez mais no centro da próxima geração de aplicativos sendo desenvolvidos pelas empresas para melhor compreender e interagir com seus clientes. As capacidades Modulus são um complemento perfeito para a plataforma Progress Pacific PaaS”, declarou Phil Pead, presidente e CEO da Progress.

Com 33 anos de mercado, a Progress tem tecnologia empregada em mais de 140 mil empresas, distribuídas em 175 países. A empresa mantém estreita colaboração com mais de 2 mil parceiros de aplicações, entre desenvolvedores terceirizados e fornecedores de soluções com tecnologia Progress incorporada.

No final de 2013, a multinacional fez uma reorganização mundial dos seus negócios, com consequências no Brasil, um dos mercados destaque da empresa no mundo.

A companhia nomeou Marcos Primo como country manager, substituindo Edenize Maron, que em agosto de 2013 foi para a Software AG, após pouco mais de um ano de casa.

A empresa também trocou de CEO nos Estados Unidos, cortou 20% da equipe e começou um programa de recompra de ações, num esforço para melhorar os resultados.