Manuela D'Ávila, durante apresentação aos integrantes do CETI.

Tamanho da fonte: -A+A

Manuela D'Ávila (PcdoB-RS) prometeu redução da carga de ISS para empresas do setor de TI de Porto Alegre como parte de um plano para transformar Porto Alegre na “capital da indústria criativa” no Brasil.

A afirmação foi feita na Federasul nesta segunda-feira, 10, durante uma apresentação de propostas para a área de tecnologia a integrantes do CETI.

A candidata comunista não revelou qual seria a nova alíquota, mas afirmou que a ideia é estabelecer uma cifra na faixa do 0,01% ou 0,02%, o que transformaria o ISS em um controlador da movimentação financeira das empresas, nos moldes do que chegou a ser defendido sem sucesso para a CPMF.

Hoje, as empresas de Porto Alegre pagam o mínimo de 2% estabelecido por lei, mas existem mecanismos já em prática em cidades da região metropolitana que permitem reduzir o valor, assegurando a estabilidade da arrecadação.

“A proposta seria uma mistura das leis aprovadas sobre o assunto em São Leopoldo e Canoas”, afirmou Manuela, citando leis aprovadas por dois prefeitos petistas em 2009.

Em Canoas, a chamada “Lei do Gatilho” estabeleceu uma redução de 0,25 ponto percentual da alíquota de ISS no município anualmente, sempre que a arrecadação se mantivesse igual ou maior que no anterior. A cidade já soma três anos de reduções na tarifa.

Já em São Leopoldo, a cidade criou um mecanismo que permite reduções temporárias de até 1,5 ponto percentual na tarifa mínima de 2%, de acordo com o volume de empregos gerado por novos projetos.

Manela também falou em descontos no IPTU como forma de estimular a instalação de empresas de economia criativa – uma expressão ampla que inclui empresas de software, mobilidade e comunicação – na área do quarto distrito, sem mencionar valores.

Para a candidata, que está empatada com o atual prefeito José Fortunati (PDT) nas pesquisas, om percentuais que oscilam entre 34% e 38%, dependendo do instituto de pesquisa, Porto Alegre tem um ponto forte na qualidade da mão de obra, mas está levando um “vareio” de outras cidades como Recife e Campinas em termos de posicionamento como destino de investimentos.

Manuela afirmou que pretende criar uma secretaria de Desenvolvimento, à qual deve ficar subordinada a InovaPoa, agência de promoção da inovação criada em 2009, durante o governo José Fogaça (PMDB-RS).

A ex-deputada federal, reeleita em 2010 com quase 500 mil votos, não poupou críticas ao que considerou o “apequenamento” da política e da visão do uso de tecnologia em Porto Alegre.

“Não temos nenhum deputado federal ou mesmo estadual licenciado para ser secretário de governo em Porto Alegre”, salientou Manuela, para quem a divisão da prefeitura em “feudos” sob o controle de partidos da base aliada impede uma administração mais integrada e um ganho de eficiência proporcionado por novas tecnologias.

A candidata do PCdoB, que tem o PSD na chapa como vice e PSB e PSC na chapa – o concorrente Fortunati tem PMDB, PDT, PTB, DEM e pelo menos uma parte do PP – disse que não espera ter dificuldade para formar maioria na Câmara em um eventual governo e espera formar um “pacto político” pela modernização da prefeitura.

MAIS MULHERES NA TI?
Usuária ativa de redes sociais - 62 mil seguidores no Twitter contra 4 mil de Adão Villaverde (PT) 10,1 mil de José Fortunati – e com um discurso de campanha que tem batido nas teclas da necessidade de inovação e uso de tecnologia, Manuela comentou com desenvoltura seus planos na área para empresários do setor.

A candidata ganhou o público ao apresentar detalhes do plano de fazer de Porto Alegre a "primeira cidade inteligente do Brasil", que incluiam desde o envio de SMS para os telefones dos pais com o alunos com faltas, aplicativos da EPTC nos celulares dos motoristas e mesmo a criação de uma plataforma de armazenamento em nuvem pela Procempa, destinadas a informações cuja segurança não é crítica.

À vontade, Manuela chegou a cobrar dos presentes medidas para ampliar o número de mulheres na área de tecnologia. “Onde quer que se vá nessa área, só se vê homens. O que há de tão masculino nesse mundo?”, questionou a candidata.

FORTUNATI É O PRÓXIMO
José Fortunati é o próximo candidato a expor suas propostas para o CETI, nesta terça-feira, 18, às 14h na Federasul. Antes de Manuela, Adão Villaverde já havia falado com o conselho na segunda-feira, 03.