Rodoviárias no interior não são bom negócio. Foto: flickr.com/photos/governomunicipaldeitanhaem

Tamanho da fonte: -A+A

Começou a operar nesta terça-feira, 10, em São Leopoldo, o primeiro terminal de autoatendimento para venda de passagens rodoviárias no Rio Grande do Sul.

O Daer vai avaliar por 90 dias o desempenho do equipamento, que reúne hardware da Perto e software da Rodosoft, uma empresa de São Leopoldo especializada em sistemas de gestão para rodoviárias.

O protótipo servirá de base para pesquisas de comportamento do usuário do transporte rodoviário de passageiros e também para desenhar o modelo licitatório de concessão para futura exploração dos terminais.

A meta do governo é resolver o problema das rodoviárias das cidades pequenas, que cada vez atraem menos interessados em gerir a operação.

Atualmente, segundo dados do Daer, há 274 municípios sem estações rodoviárias no estado. São os  chamados terminais de quarta categoria, que giram até R$ 150 mil por ano. Os administradores recebem uma comissão de 11% em cada passagem.

Com o autoatendimento, a ideia do Daer é colocar os terminais em pequenos comércios, nos quais a venda das passagens seja mais uma entre outras atividades.

O protótipo instalado em São Leopoldo aceita cartões de débito, células e moedas, com uma interface touchscreen desenhada para simplificar o processo de compra. O software reconhece, por exemplo, quais são os destinos mais comprados a cada horário e oferece esses com destaque.

Para a Rodosoft, o novo sistema de venda significa uma chance de buscar um novo mercado, já que, entre as rodoviárias maiores, a empresa já é dominante: seus 150 clientes emitem 70% das passagens vendidas no Rio Grande do Sul.

Entre as 35 maiores rodoviárias, a empresa chega a 94% de penetração. A diferença fica por conta de Porto Alegre, que possui um sistema interno.

Com fábrica em Gravataí, a Perto tem seu carro chefe na fabricação de caixas automáticos, mas vem vazendo um esforço para diversificar a linha, criando produtos de autoatendimento para estacionamentos, por exemplo.

A empresa emprega cerca de 1,7 mil colaboradores e mantém escritórios de vendas em Alphaville e Brasíia, 22 filiais de serviços, além de uma unidade em Jaipur, na Índia. Seus produtos são exportados para 25 países.