Vivo firma parceria com a NEC na banda larga. Foto: divulgação.

A Telefônica Vivo firmou um acordo com a NEC Corporation para a implantação de um projeto-piloto, com o objetivo de reduzir em até 30% os custos operacionais com banda larga em rede fixa.

Segundo reporta a Reuters, o plano é diminuir o número de equipamentos necessários para a instalação da Internet banda larga.

Com esta mudança, a implantação dos serviços e sua gestão poderá ser feita pela nuvem, diretamente pela rede da operadora, cortando a necessidade de enviar funcionários para a residência dos clientes.

Baseado em tecnologias de SDN (Software-Defined Networking, ou redes resolvidas por software) e de NFV (Network Functions Virtualisation - virtualização de funções de rede) da NEC, o sistema da Vivo deverá cortar de 15% a 30% os custos operacionais da operadora nos serviços de dados.

Para Ari Falarini, diretor de serviços aos clientes da telecom, a ideia do piloto é ter um equipamento simples em casa, e esse equipamento garantirá toda a comunicação com a rede da Vivo.

"Toda a inteligência de decisão do que fazer dentro da rede, que conteúdo acessar, ficaria na própria rede, na nuvem", completou.

Os testes serão feitos inicialmente em um número ainda não estabelecido de clientes em São Paulo, dentro da base de 3,8 milhões de assinantes de banda larga da Vivo. Depois disso, será estendida a outros estados.

O teste de virtualização, chamado de vCPE, começará a ser implantado ainda este mês. Mesmo sendo um sistema gerenciado na nuvem, Falarini ressaltou que o projeto não compromete a segurança dos usuários.

"Quanto aos aspectos de segurança, desde que a implementação seja feita seguindo os padrões da indústria, a rede estará protegida", disse.

Perguntado sobre os reflexos desta economia na conta dos seus clientes, Falarini não descartou a possibilidade.

"Sempre que temos economia de escala importante, isso é considerado", finalizou.