Empresas firmaram acordo para a construção de cabo submarino de fibras ópticas. Foto: FooTToo/Shutterstock.

A brasileira Algar Telecom, a africana Angola Cables e a uruguaia Antel firmaram um acordo com o Google para a construção de um cabo submarino de fibras ópticas que conectará o Brasil aos Estados Unidos.

Segundo destaca o Valor, o cabo terá mais de 10 mil quilômetros de extensão, passando por Santos, Fortaleza e Boca Raton, na Flórida. O custo do projeto é de US$ 60 milhões e a implantação ficará por conta da TE Connectivity SubCom.

Prevista para o final de 2016, a obra foi anunciada pelas empresas em Montevidéu, Uruguai, sede da Antel, onde foram assinados os contratos pelos representantes das companhias.

De acordo com as empresas, a rede terá seis pares de fibra, estrutura que deve aumentar a largura da banda dos sistemas de cabos submarinos existentes em 64 terabits por segundo de capacidade.

Para o Google, a criação de uma rede ligando a América Latina aos Estados Unidos é atraente devido ao potencial de usuários na região, que já conta com cerca de 300 milhões de pessoas conectadas.

Segundo as operadoras, a necessidade de redes mais velozes, tanto para serviços de usuário final, como streaming de conteúdos em alta qualidade (vídeo 4K, por exemplo), assim como para empresas, como a demanda de acesso a centros de dados globais, torna a obra importante para o país.

"À medida que mais pessoas entram na rede, aumenta a necessidade de adicionar capacidade à infraestrutura que mantém a internet funcionando, para que todos possam ter uma experiência on-line rápida, segura e útil. Por essa razão, estamos anunciando a construção de um cabo submarino", disse Cristian Ramos, gerente de parcerias de desenvolvimento de infraestrutura de internet para a América Latina, no blog do Google.

A Antel é uma estatal de telecomunicações que está conduzindo planos de universalização do acesso à internet em banda larga em seu país. Hoje a operadora já conecta 70% das moradias uruguaias à web, com 50% desses lares já contando com fibra óptica.

A Angola Cables é uma operadora africana que esteve no Brasil, no começo do ano, para negociar com o governo e sua controlada Telebras um investimento no projeto South Atlantic Cable System (Sacs). O orçamento previsto era de US$ 160 milhões para interligar a África à América do Sul por meio de fibras ópticas.

A Algar Telecom, integrante do grupo mineiro Algar, atende mais de 1 milhão de clientes residenciais e corporativos nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná e Distrito Federal. A empresa registrou receita líquida de R$ 560 milhões no segundo trimestre de 2014, resultado 15,8% maior do que o alcançado no mesmo período do ano passado.