Negócio é voltado à entrega ultra-rápida de produtos de supermercado. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

A Nana Delivery, uma nova startup voltada à entrega ultra-rápida de produtos de supermercado, acaba de receber um aporte de US$ 3,6 milhões (cerca de R$ 20 milhões) em rodada seed liderada pela Canary com participação da Maya Capital e da Presight.

A empresa foi criada por quatro executivos C-level do Zé Delivery, aplicativo de entrega de bebidas geladas da Ambev, que deixaram a companhia em setembro para apostar no negócio: Gustavo Fino, ex-CEO; Mariana Assis, ex-head de RH; Lucas Montez, ex-CPO; e Rodrigo Moreira, ex-COO.

De acordo com o site Brazil Journal, a Nana começou a fazer entregas em Belo Horizonte há cerca de dois meses e o modelo é parecido com o da Daki e do serviço Ultra, do Rappi — porém com foco nas classes C e D.

“O portfólio foi minuciosamente pensado para atender às demandas das classes C e D. São marcas mais baratas e as mais consumidas pelo nosso público”, explicou Assis à publicação.

A ideia é instalar dark stores pela cidade, comprar os produtos dos fabricantes e revendê-los aos clientes, fazendo a entrega entre 10 e 15 minutos. Para garantir a rapidez, cada estrutura atende um pequeno raio de distância. O sortimento é de apenas 1 mil SKUs.

Na parte das entregas, a Nana trabalha com operadores logísticos parceiros, com motoboys alocados exclusivamente para a plataforma.

Com o aporte, a startup já abriu seis dark stores em Belo Horizonte e deve abrir outras três até fevereiro, cobrindo toda a cidade. Depois de BH, a ideia é a expansão para outras capitais ainda não definidas.

A Daki, primeira a trazer o conceito de delivery ultra-rápido ao Brasil, já levantou mais de US$ 400 milhões em menos de um ano de operação.