Sol, praia e centro de dados em Fortaleza. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Telebras anunciou na sexta-feira, 08, que construirá um novo centro de dados internacional em Fortaleza, em um investimento de R$ 60 milhões.

O centro, que operará com energia limpa, terá o objetivo de aumentar a rapidez e segurança no tráfego de informações e também sediará uma estação de aterragem dos cabos submarinos internacionais.

O empreendimento ficará em uma área de nove mil m² cedida pela prefeitura cearense, após a sanção de uma lei referente ao Termo de Cooperação assinado em julho de 2012 entre a Telebras e a administração municipal.

Em contrapartida, a estatal irá compartilhar a infraestrutura de sua rede de telecomunicações com o município, ampliando o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). A concessão do terreno é de 20 anos, prorrogáveis por igual período.

Ao todo, serão investidos aproximadamente R$ 60 milhões em infraestrutura e equipamentos, oportunizando a geração de cerca de 300 empregos diretos e indiretos.

Além disso, a espectativa com o novo centro é de reduzir custos da banda larga para operadoras e consumidores.

Fortaleza é considerada um local estratégico devido à sua posição geográfica, a cerca de 6,5 mil quilômetros dos principais centros de dados do Atlântico.

AMX-1

A capital cearense, por exemplo, será o ponto de entrada do AMX-1, cabo submarino da América Movil, empresa mexicana que controla a Claro, Embratel e NET. A operadora está investindo cerca de R$ 1 bilhão no cabo, que passará por três continentes e sete países.

O cabo, de 17,5 mil quilômetros de extensão, funcionará como um backbone internacional de alta velocidade para a operadora, suportando serviços como 4G, transmissão de TV em HD, banda larga e nuvem corporativa.

O cabo sairá de Jacksonville, nos Estados Unidos, passando pelo México, Porto Rico, República Dominicana, Guatemala, Colômbia e Brasil.