Baguete
InícioNotícias> Thyssenkrupp: IA e RA para manutenção

Tamanho da fonte:-A+A

MICROSOFT

Thyssenkrupp: IA e RA para manutenção

Júlia Merker
// quarta, 11/04/2018 13:23

A Thyssenkrup está em fase de testes no Brasil da MAX, solução de manutenção preditiva da empresa baseada em soluções de inteligência artificial e internet das coisas (IoT) da plataforma de nuvem Microsoft Azure.

Paula Bellizia, country manager da Microsoft, e Sérgio Cardoso, VP de operações da Thyssenkrupp.

O novo serviço também amplia as alternativas e a comunicação com os técnicos de manutenção a partir do uso do HoloLens, dispositivo de realidade mista da Microsoft.

Hoje, 50 unidades piloto equipadas com MAX já estão em funcionamento no Brasil, atuando de forma preditiva. 

Com a plataforma, os dados enviados para a nuvem da Microsoft são analisados a partir de um algoritmo exclusivo, resultando em diagnósticos capazes de prever falhas. Isso permite que os técnicos da Thyssenkrupp atuem nos equipamentos antes da ocorrência de problemas relevantes.

Globalmente, o lançamento do MAX aconteceu no final de 2016. A Thyssenkrupp possui hoje mais de 120 mil elevadores já conectados com o sistema nos EUA, Alemanha, Espanha e Coreia do Sul. 

Após a expansão das aplicações do MAX para o Brasil, a empresa levará a novidade para os demais países da América Latina. 

O Brasil é o 6º maior mercado do mundo para o segmento de elevadores, com 400 mil unidades instaladas. A Thyssenkrupp espera conectar 28 mil elevadores no Brasil com o MAX.

“O uso eficiente dos dados é fundamental para que a Inteligência Artificial proporcione maior impacto e um diferencial competitivo para qualquer indústria. A Thyssenkrupp é um exemplo de transformação digital ao desenvolver um serviço inovador para seus clientes, utilizando a inteligência artificial a partir da análise preditiva de sua grande base de dados, além de otimizar suas operações de manutenção de elevadores de forma inovadora utilizando Hololens”, afirma Paula Bellizia, presidente da Microsoft Brasil.

Entre os edifícios com elevadores já conectados à nuvem por meio do MAX está o One World Trade Center, em Nova York, nos EUA. O prédio possui elevadores que se deslocam do térreo ao 102º andar em apenas 60 segundos, e drives regenerativos que convertem a energia produzida quando os elevadores desaceleram.

Após a conexão ao MAX, a Thyssenkrupp está incorporando em suas operações de campo o uso do HoloLens, dispositivo de realidade mista da Microsoft. 

Combinando soluções de internet das coisas (IoT) com o Microsoft HoloLens, os técnicos podem acessar o histórico do elevador, visualizar imagens em 3D das peças e consultar, por meio de uma chamada de vídeo, um engenheiro da empresa que remotamente pode auxiliar no serviço.

Júlia Merker