BRASÍLIA

Apex: hacker japonês espiona presidente?

11/04/2019 08:37

Presidente demitido de caótica agência estatal acha que era espionado por hacker.

Mario Vilalva, ex-presidente da Apex. Foto: Apex.

Tamanho da fonte: -A+A

O ex-presidente da Apex, o embaixador Mario Vilalva, acredita que era espionado por um hacker instalado dentro da agência estatal de promoção de exportações por dois diretores que eram seus inimigos políticos.

A bizarra afirmação é parte de uma sessão de lavação de roupa suja feita por pelo recém demitido Vilalva no site O Antagonista.

“Puseram lá um japonês, que ficava sentado numa sala de vidro que dava para o meu gabinete, para a sala do meu chefe de gabinete e a do meu secretário. E ficava lá sentado, com um computador, olhando para gente. Eu perguntei o que ele fazia lá, mas eles não me responderam. Até que veio a informação de que era um hacker que estava ali, observando os movimentos de entrada e saída da minha área e que ele estaria monitorando as ligações telefônicas e os emails”, disse Vilalva.

O embaixador, um diplomata de carreira com quase 40 anos de serviço no Itamaraty,  provavelmente não está muito por dentro de como funciona o mundo das infiltrações de sistemas. 

Se alguém quer monitorar as comunicações de alguém, o melhor é fazê-lo à distância, sem que ninguém perceba, no lugar de plantar um hacker japonês do lado de fora do escritório da vítima.

Por outro lado, a Apex parece ter se transformado num mundo à parte, onde as regras do mundo exterior não se aplicam.

Vilalva é o segundo presidente da Apex e foi demitido pelo chanceler Ernesto Araújo depois de 90 dias no cargo, pelo que a imprensa descreve como um enfrentamento com dois diretores da Apex apadrinhados de Araújo.

Recentemente, o Globo revelou que os dois diretores teriam instalado portas de vidro na sua área da sede em Brasília para evitar o acesso do presidente, ao qual não dão satisfações dos seus movimentos. Vilalva reafirmou ambas histórias ao Antagonista.

A Apex é um centro de crises que misturam amadorismo e disputa por poder, em um governo repleto de amadorismo e disputa por poder.

Vilalva assumiu a Apex depois da saída de Alecxandro Carreiro, que foi demitido pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em janeiro. 

Causou mal-estar dentro da agência o fato de que Carreiro não era fluente em inglês, o que é uma exigência do estatuto da própria Apex, e, bem, meio o que se espera de quem quer trabalhar com promoção de exportações.

Depois de demitido por Araújo, Carreiro se negou a sair do cargo, o que só fez quando o presidente Jair Bolsonaro anunciou a sua saída.

O caos na Apex eventualmente pode respingar no setor de TI. A Softex, outra agência semi estatal, focada na promoção do setor de software brasileiro, realiza ações em conjunto com a Apex, incluindo o Projeto Setorial Brasil IT+, que já levou mais de 250 para participar de uma série de eventos no exterior.

Veja também

DEFESA
Microsoft e AWS disputam Pentágono

Sinal dos tempos: IBM e Oracle, depois de muita gritaria, ficaram fora da disputa bilionária.

NUVEM
TJ-SP: mega contrato com Microsoft anda...

... pero no mucho: CNJ libera negociações, mas fechamento só depois de final do plenário. 

GESTÃO
Apex: diretores barram presidente

Não gosta do seu chefe? Que tal barrar ele atrás de uma porta de vidro temperado?

FUTURO
Ceitec parte para o ataque

Estatal de chips instalada em Porto Alegre anuncia acordo com a Pirelli.

PESQUISA
MIT corta laços com Huawei e ZTE

Universidade líder nos Estados Unidos bloqueia iniciativas com gigantes chinesas.

FUTURO
Lançada Câmara Brasileira da Indústria 4.0

Novo governo sinaliza continuidade em torno de um tema que está em alta.

TELECOM
Ideval Munhoz, ex-T-Systems, está na Oi

Operadora traz um reforço de peso para a sua área de negócios B2B.

SEGURANÇA
CNJ tem vazamento de dados

Ataque hacker acontece no meio de debate sobre contrato do TJ-SP com a Microsoft.

CHIPS
Ceitec segue vivo e pode escapar

Estatal não foi fechada. Ministério de Ciência e Tecnologia não quer privatizar.

GOVERNO
Empresários pedem fim do eSocial

Luciano Hang, dono da Havan: “E-Social é uma putaria do cacete”. 

ENTIDADES
Fücher é o novo Presidente da ABES

Profissional atuou por quase três décadas na Microsoft.

VIAGEM
Brasil vai liberar visto para americanos

O Brasil vai deixar de exigir vistos de visitantes dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália.