Oracle, IBM e Google desembarcaram da licitação do Pentágono. Foto: U. S. Army photo by SSG Howard C. Breedlove,

Microsoft e AWS vão disputar entre si o contrato de US$ 10 bilhões em curso no Departamento de Defesa Americano, o famoso Pentágono. Em um sinal dos tempos, IBM e Oracle estão fora do páreo.

A decisão foi confirmada pelo Pentágono ao Business Insider nesta quarta-feira, 10.

Desde o ano passado, as quatro empresas vem disputando a mega licitação para criação do chamado Joint Enterprise Defense Infrastructure, conhecido para deleite de fãs de Star Wars pela sigla JEDI. 

O contrato será outorgado para só uma empresa, o que tem levado a uma disputa dura no mercado de TI. O Departamento de Defesa é um grande comprador e a licitação é para migração de 80% dos seus sistemas.

Oracle, SAP, General Dynamics, Red Hat, VMware, Microsoft, IBM, Dell Technologies e Hewlett Packard chegaram a fazer uma frente conjunta para fazer lobby pela divisão do contrato, permitindo a contratação de vários fornecedores.

O Pentágono manteve sua posição e a maioria das empresas desistiu da disputa.

Em dezembro, a Oracle decidiu começar uma batalha judicial contra o governo americano e a AWS, alegando favorecimento ilícito da AWS, 

A alegação da Oracle é séria: a licitação teria sido feita sob medida para limitar o número de participantes, com participação direta de pessoas relacionadas com a AWS. 

O caso segue em andamento (o processo acontece em meio a uma briga entre as duas empresas, que tem seus momentos de comédia). 

O Pentágono afirma que fez uma investigação, que o processo esteja comprometido e deve pedir para a Justiça liberar o prosseguimento do negócio.

O Departamento de Defesa também decidiu agir pela via diplomática, comunicando que pretende usar uma abordagem de nuvens múltiplas no futuro e que haverão outras oportunidades no futuro. 

O JEDI, no entanto, tem uma aura de sinal dos tempos.

É um contrato de grande volume, no qual a AWS e a Microsoft podem reafirmar seu domínio do mercado de computação em nuvem, no qual o Google é um distante terceiro colocado e os tradicionais players corporativos como Oracle e IBM ainda não são ninguém.

Para a AWS, que é tida como favorita para vencer, uma vitória seria ainda uma reafirmação da capacidade de atender grandes players e não apenas o mercado de massa.