A STP, administradora do sistema de pagamento automático de pedágios e estacionamentos Sem Parar/Via Fácil, adotou um novo sistema de billing, implementado pelo CPqD.

O sistema,batizado de CPqD Billing, já é usado por empresas de Telecom e energia elétrica, e foi definido após uma concorrência realizada entre mais de dez empresas nacionais e estrangeiras, ao longo de um ano.

Conforme Hélio Graciosa, presidente do CPqD, na STP a solução irá permitir capturar e faturar as transações feitas por usuários de serviços de empresas diferentes com as quais a companhia mantém convênio.

“O sistema de billing é o coração do nosso negócio”, comenta Fabiano Borges, gerente de Desenvolvimento Tecnológico da STP. “A aquisição deste software é um passo fundamental da estratégia que iniciamos de transformação tecnológica”, completa.
Segundo Borges, a plataforma suportará o crescimento da STP, que hoje fica na casa dos 40% ao ano.

O Sem Parar/Via Fácil possui uma base de mais de 3,5 milhões de usuários e está presente em 94% das rodovias pedagiadas do Brasil e em 122 estacionamentos de shopping centers e aeroportos, entre outros locais.

A empresa também vem investindo na diversificação de ofertas, por exemplo, com o lançamento de produtos específicos para mercados regionais - como é o caso de pré-pagos em Santa Catarina e Bahia.

O projeto com o CpQD, que tem duração prevista em 16 meses, também está na base do plano de expansão do portfólio, garante Borges.

“O billing dá suporte a processos críticos de tarifação, faturamento, arrecadação e cobrança de fatura, e será adaptado a necessidades específicas de nosso negócio e integrado a outros sistemas que já usamos”, destaca o gestor.

Com presença em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul, a STP é controlada por três concessionárias de estradas (CCR, EcoRodovias e OHL) e duas empresas de tecnologia (CCBR Catel e GSMP).

 A CCR é a maior acionista, com 38,25% do capital.

Já o CPqD é uma instituição independente, voltada à P&D em TIC, que emprega mais de 1.300 profissionais.

As soluções da organização já são utilizadas por empresas e instituições dos setores de telecomunicações, energia elétrica, financeiro, industrial, corporativo e governo.