SATÉLITE

Google compra Skybox por US$ 500 mi

11/06/2014 12:11

A empresa registra e fornece acesso a imagens e vídeos em alta definição.

Imagem feita pela Skybox.

Tamanho da fonte: -A+A

O Google comprou Skybox por US$ 500 milhões. A Skybox constrói satélites e implanta centros de dados. A empresa também registra e fornece acesso a imagens e vídeos detalhados de paisagens em alta definição.

“Os satélites da Skybox ajudarão o Google a manter o Google Maps apurado com imagens atualizadas”, afirmou a declaração do Google voltada a investidores.

A aquisição faz sentido para o Google Maps e Google Earth, pois agora o Google tem acesso a fotos e vídeos de alta qualidade em tempo real.

"Com o tempo, esperamos também que a equipe e a tecnologia da Skybox sejam capazes de ajudar a melhorar o acesso à internet e na recuperação de desastres - áreas pelas quais Google tem se interessado", afirmou a empresa.

Enquanto isso, o Google também pode ver potencial nesta aquisição como uma forma de levar a Internet para os dois terços da população que não ainda tem conexão. Com esse objetivo, o Google já anunciou Projeto Loon, uma rede de balões para prover acesso à rede. 

O Google também comprou recentemente a Titan Aerospace, uma empresa que fabrica drones movidos a energia solar que voam alto. 

A Skybox já havia arrecadado US$ 91 milhões em aportes.

Segundo a empresa, seus satélites podem monitorar o transporte da Terra. 

“Assista às coisas que importam para o seu negócio e para a economia global—carros, caminhões, navios, aviões, fábricas e plantações ao redor do planeta”, afirma o site da Skybox.

De acordo com o Business Insider, cartógrafos digitais estão tentando descobrir maneiras de usar a nova fonte de dados geoespaciais, mas simplesmente ser capaz de assistir parte do mundo várias vezes ao dia a partir do espaço já é algo profundo. 

Ainda não se sabe ao certo que idéias surgirão disso e quem se beneficia com o sistema. Ninguém de fora do sistema militar jamais foi capaz de acessar dados como estes. Teoricamente, pode-se seguir qualquer pessoa a partir do espaço. 

No entanto, o potencial é muito grande em setores como agricultura, aeroportos, monitoramento de ativos, segurança, gerenciamento de cadeia de suprimentos, e usinas nucleares.

Na semana passa, o Wall Street Journal divulgou que o Google estaria disposto a gastar mais de US$ 1 bilhão em um projeto de uma frota de satélites para expandir o acesso à internet em regiões do planeta que não tem cobertura com fios.

Os detalhes ainda estão bem guardados, mas fontes ligadas à companhia revelaram ao jornal que o programa começaria com 180 pequenos satélites de alta capacidade orbitando em torno da Terra em altitudes mais baixas que satélites tradicionais.

Quem também apostou em tecnologia semelhante foi o Facebook, que desenvolveu internamente uma tecnologia de drones para levar conectividade a locais de baixa cobertura.

"Google e Facebook estão tentando encontrar maneiras de alcançar populações até então inacessíveis. Conexões cabeadas tem limitações, e redes de celular funcionam melhor em regiões menores. Satélites tem alcance mais amplo", destacou Susan Irwin, presidente da Irwin Communications, firma de consultoria no setor de satélites.

Veja também

RANKING
Apps diferenciam usuários de Android e iOS

Ranking de apps mais populares da App Store e Google Play mostram perfis diferentes dos usuários.

FINALMENTE
Porto Alegre já tem Google Transit

Usuários do transporte coletivo podem consultar linhas de ônibus na capital gaúcha.

LETRA E LOCALIZAÇÃO
Poa Digital: músicas no mapa da cidade

Iniciativa marca no mapa letras de músicas que falam dos bairros, ruas e lugares da capital.

LOON PROJECT
Piauí testa balões do Google

A Escola Linoca Gayoso teve, pela primeira vez, uma aula com acesso à internet.