Anand Sivaraman, VP da ITC Infotech.

A ITC Infotech, grupo de TI do conglomerado indiano ITC, está começando a colocar o pé na água no mercado brasileiro, onde pretende abrir uma operação em São Paulo até o final do ano.

A companhia já tem um contrato no Brasil, e dos grandes: funcionários da companhia em Bangalore estão atuando como fábrica de software na implementação do sistema de gestão de ciclo de vida de produto (PLM, na sigla em inglês) atualmente em curso na Embraer.

O contrato foi fechado pela PTC em dezembro do ano passado, se estende por 10 anos e está avaliado em US$ 50 milhões.

“Os skills para desenvolver sistemas de PLM não são os mesmos de um programador .Net ou mesmo de um consultor SAP. É um profissional difícil de encontrar”, avalia Anand Sivaraman, VP da ITC Infotech.

Uma boa maneira de entender a ITC é pensar no Grupo Tata. Ainda que os tamanhos sejam bem – a ITC tem um faturamento na faixa dos US$ 8 bilhões e a Tata, dos US$ 100 bilhões – ambos tem a mesma vocação de englobar todo tipo de setores da economia.

A ITC Infotech atua também com tecnologia SAP para analytics, o CRM Siebel da Oracle, desenvolvimento de aplicações para iOS e desenvolvimento .Net, com faturamento de  US$ 200 milhões.

A empresa emprega 5,6 mil profissionais na Índia, dos quais 1 mil trabalham em um centro de desenvolvimento dos produtos da PTC no país e outros 600 estão na área de PLM.

Além disso, a companhia tem acesso a consultores de negócio da empresa mãe, atuante numa série de mercados indo desde plantações de fumo até alimentação, passando por marcas de luxo – na Índia - como a Will LifeStyle.

A ITC Infotech está entrando em um mercado aquecido. Recentemente, a SCA, multinacional espanhola de PLM, abriu uma operação em Porto Alegre de olho no mesmo mercado, no qual já faturou clientes como a Sulmaq, empresa de Guaporé especializada maquinário para frigoríficos e com a TMSA, companhia de Porto Alegre que fabrica sistemas para silos de cereais.