Oi deve levar 40% da TIM. Foto: divulgação.

Depois de definido o negócio para a consolidação da TIM, que sairá das mãos da Telefonica e será dividida entre Vivo, Claro e Oi, a última operadora avalia planos ambiciosos para aproveitar a fatia que receberá da operadora.

Segundo destaca o Valor, a Oi deve ficar com a maior fatia da TIM Brasil, levando fatia que abrange os mercados de São Paulo e região Sul. Com isso, a operadora controlada pela Portugal Telecom deve investir pesado, com valores que podem alcançar até R$ 10 bilhões.

Mas não fica só nisso: como a Oi tem menor participação no mercado nacional, a operadora tem potencial para aceitar mais de dez Estados, podendo ser a consolidadora no Centro Oeste. Na prática, a Oi pode absorver mais de 40% dos clientes da TIM, que tem 74,4 milhões de usuários.

Pessoas próximas à operação afirmam que o negócio total da venda da TIM gira entre R$ 30 bilhões e R$ 35 bilhões, o que levaria ao alto valor de investimento da Oi para obter a maior fatia da operadora.

Para levantar o capital necessário para esta transação, a Oi avalia a venda de suas operações em Angola, que valem US$ 700 milhões, e até mesmo cortar os laços com a PT, empresa com a qual tem pouca sinergia, e vendê-la.

O desafio será arranjar interessados pela telecom portuguesa. Na incorporação pela Oi, antes da perda dos R$ 3 bilhões com os títulos do Grupo Espírito Santo, a empresa foi avaliada em R$ 5,7 bilhões.

O Nordeste deve ser acoplado à Telefônica Vivo. Claro levaria Minas Gerais e Espírito Santo, e poderia absorver a região Norte, além de Maranhão e Sergipe.

As estruturas físicas (torres, antenas e redes) da TIM, serão parte da estrutura de financiamento. A possibilidade é que o BTG Pactual, banco que está encaminhando o processo, assumirá esses bens para formar uma companhia de infraestrutura de telecomunicações.

De acordo com especialista, O BTG poderá vender ou oferecer está companhia ao mercado em uma oferta de ações.