Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb. Foto: Divulgação.

A Sensorweb, startup que desenvolve soluções em internet das coisas (IoT) para saúde, venceu uma licitação para implantar e operar o serviço de registro e monitoramento das temperaturas na Rede de Frio das 21 unidades do Hemepar (Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná).  

Administrada pela Secretaria de Estado de Saúde, a instituição é responsável pela coleta, armazenamento, processamento, transfusão e distribuição de sangue para 384 hospitais públicos, privados e filantrópicos que atuam em todas as regiões do Paraná.

“Entregamos um pacote completo de tecnologia e serviços de forma a garantir um monitoramento à distância preciso, seguro e contínuo e assim reduzir os riscos de perdas materiais com disparo de alertas no momento certo e equipes capacitadas na utilização e operação do sistema”, afirma Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb.

A rede do Paraná é a segunda hemorrede no Brasil 100% monitorada pela Sensorweb. O primeiro contrato foi firmado com o Hemosc (Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina), em 2014.

O projeto é uma etapa do processo de habilitação do Hemepar para Certificação Internacional da AABB (Associação Americana de Bancos de Sangue), que vai garantir a operação ininterrupta e contínua da rede de sangue da região no formato 24x7.

A otimização do processo de registro e controle das temperaturas possibilitará aferir e solucionar eventuais problemas com as câmaras de armazenamento no momento em que ocorrer o desvio, evitando perdas e assegurando a qualidade dos insumos armazenados.

Além da instalação de 600 pontos de monitoramento, a Sensorweb será responsável pelo treinamento da equipe e por garantir a operação e manutenção da solução de forma contínua.

Com esta implantação, a Sensorweb ultrapassa a marca de 2.500 sensores em operação em várias regiões do país, em hospitais, clínicas oncológicas, bancos de sangue, institutos e laboratórios de pesquisa.

Em 2015, a empresa passou a ter suas soluções em locais como Beneficência Portuguesa de São Paulo, Instituto Carlos Chagas da Fiocruz, Instituto do Câncer do Estado de São Paulo e Banco de Sangue do Hospital Moinhos de Vento em Porto Alegre.