Inicialmente, a ferramenta foi disponibilizada nos estados do Paraná, Minas Gerais, Ceará e Bahia. Foto: Agência Brasil.

Tamanho da fonte: -A+A

A Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (SEPEC/ME) implantou a solução de inteligência artificial da Microsoft para aprimorar o atendimento no balcão do Sine e agilizar o processo de redirecionamento para as vagas ofertadas.

Parte do Acordo de Cooperação Técnica entre a pasta e a companhia, a nova ferramenta foi disponfibilizada na última sexta-feira, 9, inicialmente nos estados do Paraná, Minas Gerais, Ceará e Bahia.

Em seguida, chegará gradualmente aos demais estados e, posteriormente, aos municípios parcefiros do Sine.

Na prática, a plataforma recomenda vagas com características semelhantes a outras que geraram interesse daquele trabalhador no passado, apresentando informações sobre o comportamento do mercado de trabalho — em relação a atividades de interesse ou profissões mais demandadas na localidade.

Para isso, é feito o cruzamento de informações do mercado de trabalho da localidade com as informações contidas nas plataformas digitais do Sine. 

Desta forma, a expectativa é que os atendentes da rede ofereçam um atendimento individualizado, além do sistema prover informações de inteligência de negócio aos gestores regionais e nacionais do Sine.

Além disso, em conjunto com outras ferramentas do Sine, será subsidiado o atendimento remoto de trabalhadores pelos gestores regionais/locais da rede Sine, que realizam o processo de intermediação.

A partir do dia 16 de abril, o Ministério da Economia também irá disponibilizar novas funcionalidades de intermediação de mão de obra. 

Com os novos serviços, acessíveis a partir do portal gov.br, a pasta afirma ter como objetivo que trabalhadores e empregadores tenham maior autonomia durante o processo seletivo, a fim de evitar deslocamentos desnecessários e de aumentar a assertividade dos encaminhamentos.

O Ministério ainda está avaliando disponibilizar todas essas novas funcionalidades na Carteira de Trabalho Digital. 

Em julho de 2020, a Microsoft fechou um acordo com o Ministério da Economia se comprometendo a vender uma tabela com 2 mil produtos com um preço 22,71% menor nas licitações públicas.

O acordo é extensível aos três poderes nas esferas federal, estadual e municipal e inclui ferramentas de colaboração e produtividade, desde o Office 365 até serviços da plataforma de dados da Microsoft, incluindo BI e Analytics. 

Assim, órgãos públicos só podem adquirir produtos da Microsoft seguindo os valores máximos estipulados, já com o desconto. A meta é chegar a uma média de 20% de desconto entre todos os grandes fornecedores até 2022.