Vinícius Pessin.

A B2W Digital, controladora da Americanas.com e Submarino, entre outros sites de e-commerce, comprou 100% da plataforma de comércio eletrônico paulista e-Smart por R$ 13 milhões.

Especializada na plataforma open source Magento, a eSmart foi fundada em 2012 com um aporte de capital de US$ 10 milhões, vindo em parte de um aporte do empresário  Walter Sabini Junior.

Sabini havia vendido a empresa de e-mail marketing Virid para o Virid Interatividade Digital para o grupo irlandês Experian um ano antes.

Em nota, a B2W informa que mantém os executivos Vinícius Pessin e Mariano Quadradro à frente das operações da e-Smart, como CEO e CTO, respectivamente. 

Pessin e Quadrado são ex-executivos do UOL Host e trabalham juntos desde a Plug In, adquirida pelo UOL em 2007.

Sabini deixou a operação. Nos últimos anos, o empresário entrou em novos negócios e hoje é co-fundador e investidor através do fundo Hi Partners de startups como a GreenClick, especializada em certificação de sustentabilidade para sites; a Precifica, focada em monitoramento de preços em e-commerce e a ShelfPix, criadora de uma tecnologia de reconhecimento digital de imagens.

A e-Smart atende e-commerces como Saraiva, Le Lis Blanc, Puket, Flores Online, entre outras. Neste ano, a companhia foi premiada pelo eBay, criador do Magento, pelo case da  Saraiva Webstore.

Na fundação, em 2012, a empresa fechar o ano seguinte com 200 clientes e faturamento de mais de R$ 20 milhões. A empresa não voltou a divulgar faturamento ou projeções.

A venda para a B2W indica que a empresa desistiu da sua meta inicial de atuar como uma consolidadora no fragmentado mercado de plataformas de e-commerce do Brasil. No passado, players como Ikeda, adquirida pela japonesa Rakuten em 2011. 

De acordo com um estudo da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) com 1 mil e-commerces do país a plataforma Magento é a líder distante quando o assunto são sistemas de e-commerce no Brasil, com 20% de participação de mercado.

Outras duas plataformas open source tem participações expressivas: Word Press e PrestaShop com 4,7% e 3,2%. 

Das plataformas proprietárias nacionais, a FastCommerce tem 5,9%, e a VTEX 5,6%. Cia Shop  segue com 4,4%. As estrangeiras Rakuten e Hybris vêm em seguida, com 3,6% e 0,6% respectivamente.

Já na relação de faturamento, 45,6% de toda a movimentação do e-commerce vêm de lojas virtuais com plataforma própria. Magento aparece na sequência com 27,8%, seguido por VTEX com 9,8%.

O comércio eletrônico no Brasil deve movimentar cerca de R$ 63,9 bilhões em 2015. alta de 20,34% em relação ao ano anterior, segundo dados da E-Consulting.