Stone decidiu cortar um em cada cinco funcionários. Foto: divulgação.

A Stone demitiu 1,3 mil funcionários, número que equivale a 20% da equipe total.

A medida foi anunciada nesta terça-feira, 12, em um post no Linkedin assinado pelo CEO, Thiago Piau.

No texto, Piau revela que a demissão não estava nos planos no início da crise, mas que se fez necessária pelo impacto da pandemia nas vendas do varejo, e, por tabela, nos pagamentos por cartões.

A Stone explicou o tamanho do corte apontando para dois fatores que a levariam a ter mais funcionários do que a média do mercado: o fato de ter uma área de relacionamento com o cliente 100% interna e um “modelo de altíssimo crescimento, tendo sempre mais gente do que o necessário para fazer a companhia funcionar”.

“Houve um choque de demanda no varejo brasileiro nunca antes imaginado. Agora que está mais claro o tamanho do impacto, precisamos alocar os recursos na companhia com ainda mais responsabilidade”, afirma Piau. “Nesse momento devemos nos basear no presente - e não na expectativa de futuro, como sempre fizemos em um contexto mais estável”, agrega.

A Stone anunciou algumas medidas para minimizar o impacto das demissões, incluindo a prorrogação do plano de saúde por quatro meses, do vale alimentação e refeição pelos "próximos meses" e a doação de celulares e computadores corporativos em posse dos funcionários, além de licenças premium de Linkedin e “apoio financeiro” proporcional aos anos de casa.