Tecnologia da Powermat será usada no Starbucks.

A rede de cafeterias Starbucks, trabalhando com a Duracell Powermat, anuncia planos para um lançamento nacional da tecnologia de carregamento sem fio. 

Serviços de carregamento serão incorporados na superfície de mesas e balcões para permitir aos clientes o carregamento de dispositivos compatíveis de forma gratuita, sem qualquer fio conectado, segundo o Wall Street Journal.

Esse movimento poderia resolver o círculo que diz que os fabricantes de celulares não investem na capacidade dos aparelhos de carregar a bateria de maneira wireless pois as empresas não se dispõem a instalar superfícies de carga, enquanto as empresas dizem não instalar as bases por não existirem pessoas com dispositivos com essa capacidade.

A situação é complicada pelo fato de que as empresas estão propondo tecnologias concorrentes para carregamento, por isso os fabricantes de hardware que se movem muito cedo poderiam apostar em algo que nunca decola.

Mas o Starbucks está pensando mais além. 

"Estamos antecipando que nossos clientes vão vir a querer essa tecnologia em nossas lojas, como fizeram com Wi-Fi", diz Adam Brotman, diretor digital no Starbucks.

O Starbucks tem testado a tecnologia Powermat em algumas lojas na área de São Francisco e Boston, diz Brotman. 

Para o lançamento, a empresa vai primeiro tentar construir a tecnologia plenamente nesses locais antes de movê-la para outras lojas, que terão, provavelmente, a maioria das instalações acontecendo em 2015 ou depois.

Fundada em 2006 pelo empresário israelense Ran Poliakine, a Powermat tem estado entre as muitas empresas que buscam alternativas aos fios para carregar telefones celulares e outros dispositivos. 

A empresa utiliza uma tecnologia de carga indutiva, que pode passar eletricidade entre os objetos nas proximidades.

A Powermat, que trabalha desde 2011 em parceria com a Duracell, também vem trabalhando para ajudar a desenvolver um padrão multi-empresa de carga, para que os consumidores possam obter aparelhos e acessórios compatíveis de fornecedores concorrentes. 

A companhia está reunida com um grupo denominado Power Matters Alliance, ou PMA, que inclui membros com AT&T, Sony, Samsung Electronics, Microsoft, Qualcomm e Toshiba.

Alguns telefones no mercado já incorporam componentes compatíveis PMA ou  podem funcionar com acessórios especiais que utilizam a tecnologia.