Empresa administra cartões de crédito em parceria com redes de varejo. Foto: Pexels.

A Credz, administradora de cartões de crédito em parceria com redes de varejo, migrou para a nuvem pública da Amazon Web Services (AWS) com a Tivit, multinacional brasileira de soluções digitais.

De acordo com a empresa, a necessidade veio após a Credz fechar uma parceria com a bandeira Visa, o que fez o seu número de transações triplicar entre 2018 e 2019.

"Chegou um ponto no qual a nossa infraestrutura não suportava mais o ambiente em que operávamos. Tínhamos como meta estar em um ambiente de nuvem pública antes da Black Friday", conta Gilberto Baldini, digital solutions manager na Credz.

Em 27 dias, a Tivit realizou a migração de parte do seu legado para a AWS, também sendo responsável pela gestão financeira e governança de todo ambiente em nuvem da Credz.

A jornada de migração contou com apoio permanente de um time da Tivit em uma sala de operações montada na sede da Credz. Os profissionais cuidaram da operação no ambiente anterior e montaram o novo na nuvem da AWS.

Segundo a  Credz, a migração trouxe benefícios como otimização do ambiente de operação, redução de custos e escalabilidade.

Além disso, a empresa observou a estabilidade de seu serviço, que não sofreu intermitências ou interrupções desde a adoção da nuvem pública, inclusive durante o período de compras de final de ano, que geraram quatro vezes mais demanda.

"Nada poderia dar errado para não levar frustrações e experiências ruins tanto para as redes de varejo parceiras da Credz quanto para os consumidores que preparavam suas compras", conta André Frederico, diretor executivo e head de cloud solutions da Tivit.

A migração apoiou uma expansão de 111 redes de varejo para atuais 392 redes que congregam quase 4 mil lojas.

Presente no mercado há 20 anos, a Tivit opera em dez países da América Latina com quatro linhas de negócios: digital business, cloud solutions, digital payments e technology platforms.

Além da AWS, a Tivit também trabalha com as nuvens da Google e da Microsoft.

A AWS gerou US$ 35,03 bilhões de receita para a Amazon em 2019, cerca de um décimo do total faturado pela companhia, que foi de US$ 280,5 bilhões.