Alunos do BEPiD desenvolveram o aplicativo Meu Deputado. Foto: Bruno Todeschini/Ascom-PUCRS.

Alunos do Brazilian Education Program for iOS Development (BEPiD), programa para capacitação em tecnologias iOS oferecido pela PUC-RS e pelo Instituto Eldorado, desenvolveram o aplicativo Meu Deputado.

O projeto busca aproveitar as informações publicadas a partir da lei da transparência, pela qual todas as notas fiscais referentes aos gastos com dinheiro público ficam disponíveis à população.

O app, que está disponível na App Store, mostra os gastos dos deputados federais mensalmente. Nele, é possível identificar onde foi investida a verba destinada aos políticos, como divulgação, combustível, passagens áreas, hospedagem, entre outros. 

“A nossa ideia era fazer um aplicativo que facilitasse a visualização das informações”, afirma Claudio da Silva Dias Junior, um dos desenvolvedores. 

Os integrantes do grupo que ajudou a elaborar e executar o projeto são Anderson Kloss (Ciência da Computação/PUCRS), Claudio da Silva Dias Junior (Ciência da Computação/PUCRS), Felipe Vielitz (Jogos Digitais/Unisinos), Gianfranco Meneguz (Sistemas para Internet/IFRS),e Kévin Cardoso de Sá (Jogos Digitais/Unisinos).

A ideia surgiu após os alunos serem incitados a desenvolver um aplicativo que compreendesse uma problemática da sociedade. 

O app permite que o usuário acesse as notas fiscais referentes aos gastos dos políticos. Outro recurso possível é enviar um e-mail – a partir de um texto base pronto – questionando sobre o destino dos recursos públicos.

Os deputados federais tem direito, por exemplo, a cota parlamentar. O recurso pode ser utilizado para fins como passagens aéreas, hospedagem, telefonia, manutenção do escritório, despesas com locomoção, serviços de segurança, entre outros.

O recurso varia de acordo com o estado do deputado, com o mínimo de R$ 30,7 mil (DF) e máximo de R$ 44,6 mil (AC). O valor mensal da cota parlamentar é utilizado pelo deputado por meio de reembolso ou por meio de débito automático no valor da cota. No caso de reembolso, o deputado tem até 90 dias para apresentar a documentação relativa ao gasto.