Wellington Lobo.

A Forcepoint reforçou o seu canal de distribuição no país com um acordo com a Arrow.

A empresa nasceu em janeiro, a partir da aquisição da Websense e Stonesoft pela Raytheon, um dos principais players internacionais de segurança. 

Os negócios foram integrados com a Raytheon Cyber Products, divisão de cibersegurança da gigante.

A nova empresa já foi reconhecida pelo Gartner como Líder no Quadrante Mágico para Prevenção contra a Perda de Dados Corporativos.

Até então, a única das companhias a ter presença no Brasil via distribuição era a Websense, que tinha, e mantém, acordos de distribuição com a Westcon e ApliDigital. Ao todo, trabalhavam com a tecnologia 300 parceiros. Os produtos StoneSoft eram vendidos por parceiros Intel, dona da companhia.

A Arrow está habilitada a trabalhar com todo o portfólio da Forcepoint, com foco inicial em quatro grupos de soluções, focadas em conteúdo, nuvem, ameças internas e redes.

“Alinhamos as estratégias de crescimento na região baseadas em novos negócios e canais com relacionamento de longo prazo. Dessa forma, cremos que a parceria no Brasil repetirá o sucesso que temos em outros países”, avalia Wellington Lobo, gerente de Canais Brasil da Forcepoint.

Sob o guarda-chuva da Raytheon, uma gigante global de US$ 25 bilhões, a Forcepoint nasce com um faturamento estimado em US$ 360 milhões.

Sediada em São Paulo, a operação latinoamericana da Forcepoint conta atualmente com 26 pessoas, doze delas no Brasil e outras em países como Colômbia e México.