Mark Hurd, co-CEO da Oracle, veio ao Brasil pelo menos cinco vezes.

Mark Hurd, co-CEO da Oracle, anunciou seu afastamento temporário do comando da empresa por motivos de saúde nesta quarta-feira, 11.

O executivo não abriu quais eram os problemas ou em que prazo projeta voltar à empresa.

Durante o afastamento de Hurd, suas responsabilidades serão divididas entre Safra Catz, executiva que também tem cargo de co-CEO e o fundador da empresa, Larry Ellison, hoje à frente do conselho de administração.

De acordo com o site britânico The Register, Hurd já vem algum tempo intercalando períodos afastado das atividades da Oracle.

O anúncio do afastamento de Hurd aconteceu no mesmo dia da divulgação dos resultados do trimestre, no qual a Oracle faturou US$ 9,2 bilhões, quase a mesma coisa do que no mesmo trimestre do ano anterior.

A saída de Hurd acontece em um momento conturbado para a Oracle, que está passando trabalho para se tornar um competidor para empresas como AWS e Microsoft no mercado de nuvem.

No final do ano passado, Thomas Kurian, um profissional com 20 anos de casa que liderava toda a oferta de nuvem da Oracle, foi contratado pelo Google Cloud.

Kurian, que respondia diretamente para Elisson, pulando os dois co-CEOs, era especulado como um futuro líder da empresa. 

Meses depois de Kurian, a empresa perdeu também Amit Zavery, VP de Oracle Cloud Platform (PaaS), Middleware, Analytics e Java da Oracle, contratado pelo Google para assumir o cargo de VP de Engenharia.

Como resposta à situação, Larry Ellison, hoje com 74 anos, decidiu botar a mão na massa e voltar a se envolver diretamente com os produtos da empresa.

De acordo com o site The Information, citando fontes anônimas, Ellison agora vai à sede da empresa três dias por semana, e passa horas em reuniões com os gerentes da companhia, incluindo aí sessões técnicas aprofundadas.

Como toda essa movimentação no topo da Oracle afeta o Brasil, se afeta de alguma forma? Difícil de especular. 

O que é certo é que Mark Hurd era um executivo ao menos familiarizado com o país, ao qual fez sua primeira visita em 2010, quatro meses depois de ter assumido o cargo de co-CEO vindo da HP.

Depois, veio em 2013, 2014, 2015 e 2016 para participações no Oracle Open World, o maior evento da empresa no país. 

Safra Catz esteve duas vezes no país. O poderoso chefão Elisson veio uma vez, em 2002, logo após o fechamento de um grande contrato com a Vale.