DIREITOS

MPT-PR: gandula é trabalho infantil

13/05/2014 14:21

Os gandulas tinham achado algo para fazer. Já o MPT-PR... Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) entrou com ação judicial na 20ª Vara do Trabalho de Curitiba para impedir que, durante os jogos da Copa, crianças e adolescentes trabalhem como gandulas. 

Com abrangência nacional, o pedido de liminar é dirigido contra a Coca-Cola e a Fifa. O pedido é que não trabalhe nos jogos ninguém menor de 18 anos, nem de forma voluntária, tanto no Mundial como em qualquer outra competição.

O trabalho no Brasil é vedado pela Constituição Federal para cidadãos com menos de 16 anos, exceto a partir dos 14 exclusivamente sob o regime de aprendizagem. 

A Coca-cola, única responsável pela seleção dos gandulas para todos os jogos da Copa, em audiência no MPT-PR, afirmou recrutar gandulas de 13 a 16 anos - sendo 14 gandulas por partida.

Zelosa, a procuradora do trabalho responsável pelo caso, Margaret Matos de Carvalho, lembra na ação que já existiram casos de gandulas que entraram em conflitos com técnicos e jogadores ou foram atingidos por objetos jogados pelo público, e ressalta o risco de “estresse físico e emocional” e até “choques violentos ou fraturas”.

Em nota, a Coca Cola informou que "a lista final com aqueles que participarão dos jogos como gandula respeitará as exigências da FIFA e as decisões judiciais".

Os brasileiros podem respirar aliviados. Vai ter gandula. Maior de idade.

Veja também

NOSSOS CORRESPONDENTES
Canadá: sonho da imigração em crise?

Guilherme Neves conta direto do Canadá sobre a polêmica envolvendo a troca de funcionários canadenses por indianos em banco do país.

CARREIRA
Empresas boas têm mais home office

No último ranking As Melhores Empresas para Trabalhar, 24% das empresas premiadas confirmaram a prática do home office, contra 8% das não premiadas.

INICIATIVA
SC tem previdência privada na TI

O TECPrevi, da Acate, visa estimular os funcionários a ficar mais tempo nas empresas.

ORÇAMENTO
Ninguém quer gastar com eSocial

Segundo levantamento em 1,3 mil escritórios de contabilidade, 45% admitiram não ter planos de investimentos adicionais.