EhTicket pensa grande no Brasil. Foto: flickr.com/photos/N000@6

Tamanho da fonte: -A+A

A startup EhTicket quer emplacar no Brasil o seu app mobile, solução gratuita para divulgar e gerenciar a venda de ingressos pela internet, inclusive através de fan pages no Facebook.

Desenvolvida no ano passado pela R18, empresa paulista especializada em Social Data Analysis e criação de aplicativos para mobile e Facebook, a plataforma já lista 160 eventos por mês, com uma média de 25 mil ingressos vendidos.

Por meio de um aplicativo mobile, o organizador também pode controlar a entrada de pessoas no dia do evento, administrando desde eventos caseiros a grandes festivais.

Segundo os responsáveis pelo projeto, os sócios Rodrigo Soriano e Rodrigo Arrigoni, o plano é chegar a um faturamento de R$ 5 milhões em 2013. Para a criação do EhTicket, a R18 investiu R$ 3 milhões.

A inspiração veio do site norte-americano EventBrite, startup de modelo semelhante criada em 2006, que vendeu mais de US$ 600 milhões em ingressos em 2012.

A receita da startup é obtida por meio de uma taxa de 4% do valor de cada ingresso vendido mais R$ 1, pagos por quem compra – via PayPal, com cartões de crédito de todas as bandeiras.

Com o EhTicket o usuário pode optar por criar um evento público, do qual qualquer pessoa pode comprar o ingresso, ou privado, em que a venda fica restrita a uma lista de convidados.

A partir disso, pode-se estipular o número máximo de participantes, preço dos convites, local e sincronização da divulgação no Facebook.  

“A plataforma pode ser usada para organizar qualquer tipo de evento, desde churrasco entre amigos, até festas para 10 mil pessoas”, explica Rodrigo Soriano.

TICKETBIS

Para ter uma ideia de como o mercado de ingressos está forte o Brasil, a multinacional Ticketbis, plataforma online de compra e venda de ingressos, registrou em 2012 um faturamento de R$ 32 milhões, e o Brasil teve uma participação grande neste bolo: 35% do faturamento na América Latina e 16% no mundial.

Levando em consideração a porcentagem do Brasil no faturamento mundial da empresa, o mercado local rendeu cerca de R$ 5,1 milhões. E o país deve continuar puxando estes índices, segundo avalia a empresa.

A chegada de eventos como a Copa das Confederações e do Mundo, pode impulsionar ainda os negócios para o setor, tanto na venda oficial ou informal de ingressos de jogos, shows e outros espetáculos.