Jorge Toledo. Foto: divulgação.

Em meio à sua estratégia de oferecer aplicações em uma vasta gama de verticais, uma das mais recentes investidas da Oracle foi o mercado de marketing, com a suíte Oracle Marketing Cloud. No Brasil, a estratégia foi iniciada no ano passado, e a meta é aproveitar o potencial do meio, que está em fase inicial de maturação, segundo aponta a multinacional.

O foco no segmento de marketing é uma evolução do trabalho que a Oracle iniciou na metade dos anos 2000 com a entrada no CRM, depois da compra da Siebel, um dos maiores nomes do setor na época.

Para contemplar o segmento de propaganda, recentemente a Oracle fez duas aquisições significativas, agregando à sua plataforma os softwares Datalogic, de banco de dados de consumo, e Bluekai, plataforma que compila dados online para formar perfis de consumo.

Conforme destaca Jorge Toledo, diretor de produtos de CRM da multinacional, as soluções de marketing contemplam um terreno bastante novo para a companhia, tanto em tipo de clientes como de concorrência.

"Temos rivais que já conhecemos do CRM, como a Salesforce, mas agora concorremos também com marcas como Adobe, Navegg ou outras empresas internacionais que não tem presença local no Brasil", afirma o executivo.

Segundo explica Toledo, o Oracle Marketing Cloud iniciou sua oferta globalmente em 2013, com foco nos Estados Unidos e Europa inicialmente. No Brasil, os esforços da multinacional já começaram bem, afirmou o executivo, embora ele não revele números ou valores.

"Adquirimos um bom número de clientes junto à nossa base de parceiros, e acreditamos que isso deve evoluir bastante nos próximos anos", avalia o diretor.

O investimento em uma nova linha de produtos também exigiu um novo perfil de revendedores para a multinacional. De acordo com o diretor, a base de integradores para oOracle Marketing Cloud partiu de empresas que inicialmente não faziam parte do ecossistema de canais da empresa.

De acordo com Toledo, primeiramente a empresa se aproximou dos parceiros especializados em CRM, que atendem verticais que também utilizam soluções de marketing, como varejo, seguradoras e telecom. Entretanto, para seguir com a oferta, a multinacional teve que mudar seu método.

"Boa parte de nossos integradores do Oracle Cloud Marketing vieram de fora do ecossistema tradicional da Oracle. Contamos atualmente com diversas agências digitais que estão trabalhando a implantação destes produtos dentro das estratégias de marketing online de seus clientes", afirmou o diretor.

Um exemplo citado pelo executivo foi o da InWave, agência digital paulista que emplacou os primeiros contratos da plataforma no país, e recentemente foi comprada pela consultoria Ernst & Young para formar um time dedicado à soluções de marketing digital com Oracle.

"Aos poucos, as grandes consultorias estão vendo o valor desta oferta em segmentos que estão amadurecendo, como é o caso do varejo. No segmento business to business, também esperamos um crescimento consistente para os próximos anos", destacou Toledo.