Logo, numa impressora perto do você. Foto: Pixabay.

A HP entrou no nicho de impressão 3D em metal com o lançamento da HP Metal Jet, divulgada pela empresa como "a tecnologia de impressão 3D mais avançada do mundo de fabricação em massa de peças metálicas de nível industrial".

Entre os primeiros clientes está a GKN Powder Metallurgy, parte da gigante britânica de tecnologia aeroespacial, que usará a impressora para produção de peças finais. A Volkswagen já fez uma encomenda.

A Volkswagen vai começar devagar, com a fabricação de peças personalizáveis em massa, como chaveiros individuais e placas de identificação de exterior.

Mas o plano da VW para usar a HP Metal Jet também inclui a produção de peças funcionais de alto desempenho com requisitos estruturais significativos, como botões de mudanças e ajustamento de espelhos.

À medida que novas plataformas, como os veículos elétricos, entram em produção em massa, espera-se que a tecnologia HP Metal Jet seja utilizada para aplicações adicionais, como a redução de peso de peças metálicas com certificação de segurança. Até 2025 as marcas do Grupo Volkswagen irão lançar 80 novos modelos elétricos.

Os equipamentos passam pó de metal sobre uma superfície, então cabeçotes lançam jatos precisos com uma liga química que solidifica a área por imprimir. O processo se repete a cada camada, uma acima da outra, até que o objeto é formado.

Quando pronto, ele segue a um forno onde o calor provoca a fundição. Os modelos anteriores de impressão em metal permitiam apenas o desenvolvimento de protótipos.

Os setores automotivo, industrial e da saúde produzem centenas de milhões de peças de metal todos os anos.

"Estamos diante de uma revolução industrial digital. A HP contribuiu para liderar essa transformação ao ser pioneira na produção em massa de peças plásticas em 3D e agora iremos subir de nível com a HP Metal Jet", afirma Dion Weisler, CEO e presidente da HP Inc.

Até agora, o terreno no qual a HP está entrando era dominado por startups como a Desktop Metal, que já levantou US$ 212 milhões junto a uma série de investidores incluindo Google, BMW, Stratasys e GE.