ATÉ R$ 40 MILHÕES

MCTI: edital para aceleradoras sai este mês

13/11/2012 09:02

Até o fim deste mês será lançado o edital, com aportes de R$ 10 milhões, para seleção de cinco empresas que serão responsáveis por fomentar 40 startups de TI contempladas pelo programa TI Maior, do Ministério de Ciências, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Cada selecionada receberá R$ 2 milhões, com missão de dar suporte a oito startups, em média.

Seleciona-se empresas para acelerar a TI nascente. Foto: Foto: Flickr.com/wmacphai

Tamanho da fonte: -A+A

Até o fim deste mês será lançado o edital, com aportes de R$ 10 milhões, para seleção de cinco empresas que serão responsáveis por fomentar 40 startups de TI contempladas pelo programa TI Maior, do Ministério de Ciências, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Cada selecionada receberá R$ 2 milhões, com missão de dar suporte a oito startups, em média.

Os empreendimentos a serem apoiados também passarão por seleção, dentro do Programa de Aceleração de Empresas de Software e Serviços de Tecnologias da Informação (Start-Up Brasil), que integra o TI Maior.

Conforme o ministro Marco Antonio Raupp, os aportes para o projeto de aceleração das startups podem chegar a R$ 40 milhões, abrangendo 150 empreendimentos até 2014.

Deste total, 25% deverão ser empresas exteriores localizadas no Brasil.

Não há uma data exata para lançamento do segundo edital, mas o MCTI acredita que possa ocorrer dentro de oito meses.

O StartUp Brasil prevê apoio das aceleradoras em quesitos técnicos, jurídicos e de negócios, bem como auxílio na aproximação das companhias suportadas com investidores e clientes.

Por hora, uma das primeiras a aderir ao projeto é a Microsoft, que anunciou a construção de uma aceleradora de negócios no chamado Porto Maravilha, zona portuária do Rio de Janeiro que foi revitalizada para contemplar empreendimentos de diversas áreas, incluindo a TI.

O anúncio da Microsoft também contempla um Laboratório de Tecnologia Avançada (ATL) e um centro de desenvolvimento da plataforma de busca Bing, e soma investimento total de R$ 200 milhões.

O projeto foi questionado pela Assespro-RJ, que afirma que a multi norte-americana não tem culpa, mas foi incluída em uma ação do governo do estado e prefeitura da cidade considerada desrespeitosa aos empresários locais.

Em um comunicado enviado à imprensa, o presidente da entidade, Ilan Goldeman, afirma que a associação atuou nos últimos quatro anos no anteprojeto, projeto e estudo de viabilidade do Parque Tecnológico Barão de Mauá, no porto do Rio, e que agora, quando de sua inauguração, sequer foi convidada.

"Nossa ideia era muito boa. Tão boa que a Microsoft aderiu. Tão boa que a prefeitura aderiu. Tão boa que o próprio governo federal a incluiu no projeto Brasil TI Maior. Para a Microsoft, que não tem nada com isto, desejamos muito sucesso no Barão de Mauá", afirma o material.

Veja também

PORTO MARAVILHA
MS: R$ 200 milhões em centro no RJ

Multi construirá na região portuária revitalizada do Rio seu primeiro centro de desenvolvimento no país.

BITS 2012
Microsoft Research terá braço no Brasil

Nos próximos seis meses, Brasil terá primeiro centro de pesquisa da multinacional na América Latina.

EMPRESAS
Brasil com três no 500 Startups

Americana selecionou 33 para programa de fomento. Brasileiras: Mimpi, Qual Canal e Cuponomia.

GRUPO GFT
Procura-se startups com ideias “verdes”

Grupo GFT busca empresas para participarem de concurso. Finalistas apresentam os projetos na CeBIT, na Alemanha.

OPORTUNIDADE
FumSoft quer 14 startups para apoiar

Quatro irão para a incubadora da empresa, em Belo Horizonte, e outras dez receberão benefícios e investimentos.