Um projeto da Feevale desenvolve a combinação das fontes de energia eólica, biomassa e solar. Foto: Ana Knevtiz/Universidade Feevale.

Pesquisadores da Universidade Feevale estão encerrando, neste ano, um projeto que desenvolve a combinação das fontes de energia eólica, biomassa e solar em uma miniestação dentro do Câmpus II da Instituição, em Novo Hamburgo. 

O projeto “Desenvolvimento de novos dispositivos para sistemas híbridos com fontes renováveis”, do mestrado em Tecnologia de Materiais e Processos Industriais, com parceria dos cursos de Engenharia Eletrônica e Engenharia Mecânica, permitiu a construção completa de um aerogerador horizontal (energia eólica), de uma máquina síncrona trifásica para um gerador a combustão (energia de biomassa – biogás) e de módulos e células fotovoltaicas (energia solar).

Coordenado pelo professor Moisés de Mattos Dias, o projeto contou com um investimento de R$ 1.360.673,89 e apoio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul e parceria da empresa JSA Engenharia.

O estudo foi dividido em duas etapas, começando pela Implantação do Sistema Híbrido.

O projeto prevê suprir uma carga de 5 kilowatts (kW) constante e continuamente, a partir de fontes renováveis – energia que possibilita carregar baterias que podem alimentar um pequeno edifício, dependendo da carga. O Sistema Híbrido foi implantado no prédio Verde da Feevale, local onde está o Laboratório de Energias Renováveis, permitindo tanto os estudos atuais quanto os futuros. 

O Sistema é composto por Fontes Solar, Eólicas e Biomassa, Controladores, Inversores e Sensores. No painel de controle, é possível monitorar diversos parâmetros, como força do vento, radiação solar, simulações do consumo das baterias, etc.

A segunda parte é o Desenvolvimento de Dispositivos para Geração de Energia, que compreendeu o desenvolvimento dos próprios dispositivos: um Aerogerador de 2,5 kW – equipamento instalado no topo do prédio Verde e que capta a força dos ventos para produzir energia eólica; um equipamento de Geração a Combustão (Biometano) de 7,5 kW – motor que utiliza biomassa e biogás para gerar energia; Módulos Solar Fotovoltaico de 90 W – foram construídos, de forma pioneira em uma universidade da região, dois módulos fotovoltaicos – equipamentos que transformam a luz solar em energia elétrica – a partir de componentes comerciais. 

Um deles, instalado no topo do prédio Verde, possui 36 células, 80W de potência e eficiência de 90%, se comparado a um equipamento produzido de modo convencional. 

Os equipamentos foram montados no Laboratório de Metalurgia do Pó e Materiais Magnéticos da Oficina Tecnológica, no Câmpus II. 

A pesquisa conta com uma equipe composta por acadêmicos bolsistas e voluntários de diversos cursos: Nickolas Both, Lucas Dariel Ferreira, Jonata Rocha Fett e Natanael de Oliveira da Rosa, da Engenharia Eletrônica; Bárbara Pisoni Benden Andrade, da Engenharia Civil; Marco Antônio Fröhlich, da Engenharia Mecânica; e Gabriel Reis Kauffmann, bolsista da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha

 

....................

Essa é a primeira edição da nova versão do Baguete, com patrocínio especial da Prophix.

A Prophix é uma solução líder de elaboração e acompanhamento do planejamento orçamentário corporativo.

Empresas como Alpargatas, Azul Linhas Aéreas, Brookfield, Camil Alimentos, Dasa, Dufry, Eucatex, HDI Seguros, Saint-Gobain, SLC Agrícola, Rabobank e Unimed são hoje referências no Brasil, dentre mais de 150 clientes na América Latina.