A Youse é a plataforma de venda de seguros online da Caixa Seguradora. Foto: Divulgação.

A Youse, plataforma de venda de seguros online da Caixa Seguradora, adotou ferramentas de marketing da Adobe para a entrega de ofertas personalizadas.

Em operação há pouco mais de um ano, a Youse nasceu para operar exclusivamente no ambiente online. No entanto, o plano de oferecer apólices customizadas para as necessidades de cada cliente apresentou desafios estruturais na proposta de relacionamento digital com o público. 

Assim, no início de 2017, a companhia conheceu as tecnologias Adobe Audience Manager e Adobe Experience Manager (AEM), que integram a plataforma Adobe Experience Cloud. 

Com a implementação das soluções, entre março e abril, a empresa conseguiu aumentar a taxa de conversão em 23%.

“No nosso primeiro ano de operações, notamos que em nossas ativações de mídia havia uma perda significativa na combinação de nossos dados proprietários com os second e third-party data. Assim, a resposta do público às nossas campanhas digitais não era satisfatória”, relata Mateus Lopes, especialista de Business Intelligence da Youse.

O executivo também relata que a personalização das páginas era estática.

“Em seguros de automóveis, por exemplo, era um site para cada modelo de carro. Sentíamos necessidade de ganhar escala na elaboração das landing pages para aproveitar melhor nossos ativos digitais e os dados à disposição”, detalha.

Assim, a empresa buscou a implementação das soluções Adobe. Com o Audience Manager, plataforma de gerenciamento de dados (DMP, na sigla em inglês), a Youse viu a escala de combinação de dados proprietários com dados secundários e de terceiros saltar de 43% para 91%.

“Esse nível de eficiência que foi entregue pelo Audience Manager nos deu agilidade, reduzindo o time-to-action, sobretudo por ser uma solução agnóstica, o que permitia imputar os dados de ferramenta de analytics de outro parceiro”, observa Lopes. 

Com essa nova realidade, a oferta de um seguro auto, por exemplo, permitiu cruzar dados do negócio (modelo do carro, CEP, ano, idade etc.), que interferem na precificação da apólice, com dados de comportamento (canal de aquisição, operadora etc.). 

“A experiência se tornou muito mais positiva e relevante para o cliente. Passamos a ter insumos suficientes para saber qual conteúdo entregar, quando e por qual meio ativar o consumidor”, completa.