SolidWorks: ataque ao mercado de AeC

14/02/2012 13:23

A DS SolidWorks prepara para outubro o lançamento de uma versão de seu software de CAD 3D voltada para o mercado de arquitetura e engenharia (AeC, na sigla em inglês).

A revelação é do CEO da DS SolidWorks, Bertrand Sicot, que faz mistério sobre a estratégia para sustentar a entrada no novo mercado.

O executivo francês se limita a assegurar que a investida é para valer.

Tamanho da fonte: -A+A

A DS SolidWorks prepara para outubro o lançamento de uma versão de seu software de CAD 3D voltada para o mercado de arquitetura e engenharia (AeC, na sigla em inglês).  

A revelação é do CEO da DS SolidWorks, Bertrand Sicot, que faz mistério sobre a estratégia para sustentar a entrada no novo mercado.

O executivo francês se limita a assegurar que a investida é para valer.

“Vamos fazer um lançamento e depois uma nova versão em 12 meses, outra em 12 meses e mais outra em 12 meses”, comenta Sicot, fazendo graça com o nível de segredo em torno do anúncio.

Baseado na plataforma V6, a base de outros produtos da Dassault Systemes como o Catia, a novidade coloca a companhia, cujos softwares até hoje atendem o mercado de manufatura, em rota de colisão com a AutoDesk, que domina a área de AeC.

Sicot afirma que o novo produto será disponibilizado aos atuais parceiros, que hoje totalizam 11 no Brasil, mas não descarta a entrada de novos canais, oriundos inclusive da concorrência.

“Já tivemos casos de bons canais que migraram para a SolidWorks e não vejo porque não possa acontecer de novo”, resume o francês.

Uma das maiores trocas de lado foi a da gaúcha SKA, que até 2006 trocou a Autodesk pela Solidworks, conseguindo migrar boa parte da carteira de clientes. Com planos de chegar aos R$ 25 milhões de faturamento até o final de 2012, a empresa é hoje uma das maiores na área de CAD/CAM no Brasil.

Sinaliza a importância do novo mercado para a empresa a contratação há cinco meses como vice presidente de pesquisa e desenvolvimento de Gian Paolo Bassi, fundador da Riwebb, uma consultoria focada em PLM que tinha entre seus clientes a Autodesk.

Movimentos da SolidWorks indicam há tempos uma entrada mais forte na área.

No começo de 2011, foi lançado o Live Bulding, software de CAD 3D online destinado ao mercado de arquitetura e construção.
 
O software pode importar arquivos de CAD 2D com a extensão .dwg e trabalhar em cima das plantas baixas dos prédios, desenhando os mesmos em 3D.

Outra movimentação que parece uma preparação do terreno para a ofensiva é o lançamento, em julho de 2010, do DraftSight, software de CAD 2D gratuito que já foi baixado 2 milhões de vezes, e, em cerca de um terço das ocasiões, ativado pelo usuário - o que equivale a dizer que pelo menos um arquivo foi aberto ou salvo usando a ferramenta.

Aaron Kelly, gerente geral da DraftSight, afirma que a meta da estratégia é permitir que os clientes possam gastar o orçamento destinado a 2D – formato no qual ainda existe um grande legado, estimado por analistas em metade do CAD mundial – em novas ferramentas de 3D.

“O mercado de AeC é ainda mais orientado a 2D. Há quem diga que o ramo está 10 anos atrás da área mecânica no que tange à adoção de 3D”, analisa Kelly.

Embora diga que eliminar receita da Autodesk não é o objetivo, Kelly mostra que a meta estaria sendo alcançada se fosse o caso, revelando que das pessoas que ativaram suas licenças gratuitas do Draftsight, apenas 10% usavam SolidWorks ou Catia na empresa.

Além das contratações, lançamentos e softwares gratuitos, a Dassault Systemes também decidiu fortalecer a SolidWorks no campo da divulgação de dados financeiros, disponibilizando informações que não costumavam ser liberadas.

Durante seu key note no SolidWorks World, que acontece até a quarta-feira, 15, em San Diego, nos Estados Unidos, o CEO da Dassault Systemas, Bernard Charles, destacou que a empresa representa 20% do faturamento do grupo, que faturou € 1,78 bilhão em 2011, alta de 16% frente aos resultados do ano anterior.

Será bastante para competir com a Autodesk -  a empresa oferece ainda software de animação, área na qual não compete com a Dassault - que encerrou o terceiro trimestre do ano fiscal de 2012 com receita de US$ 549 milhões?

Isso, os consumidores dirão. Mas não há dúvida de que será um confronto interessante.

* Maurício Renner cobre o SolidWorks 2012 em San Diego a convite da DS SolidWorks.

Veja também

SKA vai vender SolidWorks em SP

A SKA, de São Leopoldo, é a mais nova revenda autorizada da SolidWorks em São Paulo.

Com a novidade, a empresa passa a oferecer no mercado paulista soluções de CAD 3D, CAE e PDM da Dassault, além dos softwares de CAM de outras companhias presentes no seu portfolio vendidos antes por filiais em São Paulo e Santa Bárbara D’Oeste.

“Agora teremos acesso ao mercado que concentra metade do PIB de metalmecânica do país”, resume Siegfried Koelln, diretor da SKA.

Siemens PLM vai para cima

Tony Affuso, CEO da Siemens PLM Software, cutucou a concorrência – em especial a Dassault Systemes – durante a sua apresentação de abertura do Siemens PLM Connection, evento mundial da empresa inciado nesta segunda-feira, 02, em Las Vegas.

Após apresentar uma lista de novos contratos vencidos em 2010, incluindo disputas na Honeywell e Caterpillar com a PTC, Affuso voltou suas baterias contra a Dassault Systemes.

SKA: projetos elétricos no iPad

A SKA lança durante a Femainfe, que começou nesta segunda-feira, 23, em São Paulo, o QC Pro Viewer Mobile, versão de visualização do seu software CAD para projetos elétricos QC Pro ECAD para dispositivos móveis como iPad e iPhone.

O software para aplicativos móveis permite acesso rápido aos desenhos elétricos, dando ênfase aos detalhes, diminuindo possíveis erros de projeto e agilizando a produção.

Lavrale vai de SolidWorks

A Lavrale, de Caxias do Sul, já está colhendo os resultados pela implementação de uma solução de   CAD/CAM 3D da SolidWorks, implantada pelo canal local Max3D.

Romi implanta PLM da Oracle

A Romi, líder brasileira no mercado de máquinas-ferramenta, máquinas para plástico e produtora de usinados e fundidos, acaba de implantar uma ferramenta de gestão do ciclo de vida do produto (PLM, na sigla em inglês) da Oracle. 

CADS venderá CAD/CAM israelense no RS

A gaúcha CADS fechou um acordo com a israelense Cimatron para distribuir com exclusividade no estado a linha CimatronE para projeto e fabricação de moldes, ferramentas de estampo e usinagem de peças.

Autodesk: BIM avança no Brasil
O conceito de modelagem de informações da construção (BIM, na sigla em inglês) na qual obras de construção são geridas dentro de um workflow controlado por software já está instalado entre as líderes de mercado no Brasil e deve começar a se propagar pelo setor como um todo.
 
Autodesk apresenta sua nuvem

A Autodesk lançou nesta terça-feira, 27, o Autodesk Cloud um serviço que agrega uma dúzia de serviços online já disponíveis em apps ou na nuvem para AutoCAD, Revit e os outros produtos das suítes.

A novidade é que cada usuário com licença tem 3GB disponíveis para armazenar aquivos. Através do serviço, é possível compartilhar, marcar ou editar arquivos DWG e DWF.

SolidWorks: 2012 e Brasil fomentam crescimento

A versão 2012 do SolidWorks chega com benefícios para o usuário, que conta com 200 novas funcionalidades, mas também para a fabricante, que aposta na flexibilidade da oferta para crescer especialmente no Brasil.

Andritz usa Autodesk Vault

A Andritz, fornecedora de sistemas e serviços para as áreas de energia hidroelétrica, celulose e metal com faturamento de € 3,55 bilhões em 2010, adotou o Autodesk Vault para fazer a gestão dos dados de CAD, engenharia, materiais e logística.

Receita da Autodesk sobe 15% no 3T12

A Autodesk encerrou o terceiro trimestre do ano fiscal de 2012 com receita de US$ 549 milhões, aumento de 15% sobre o mesmo período do ano anterior.

A margem operacional GAAP foi de 16%, em comparação com 15% no terceiro trimestre do ano fiscal de 2011, enquanto ganhos diluídos por ação GAAP ficaram em US$ 0,32, sobre os US$ 0,23 registrados um ano atrás.

Nikon: design colaborativo com DS 6

A Dassault Systèmes (Euronext Paris: #13065, DSY.PA), uma das empresas líderes mundiais em soluções de 3D e PLM (Gerenciamento do ciclo de vida de produtos), anunciou que

A Nikon Corporation, fabricante de equipamentos ópticos, adotou o PLM Versão 6 da Dassault Systèmes (Catia) como sua plataforma de design colaborativo.

DS evolui a criação de esboços 3D

A Dassault Systèmes lança o Catia Natural Sketch, nova versão da solução para criação de esboços 3D que agrega recursos de pintura 2D e modelagem em três dimensões.
 
Conforme Anne Asensio, VP de experiência de design da DS, o objetivo da ferramenta é proporcionar aos designers esboçar no computador com traços praticamente idênticos aos do lápis no papel.

Autodesk: CAD com desconto

A Autodesk do Brasil está oferecendo descontos que podem chegar a 50% para empresas interessadas em migrar licenças de CAD.

Luciana Balsemão está na Grapho

Luciana Balsemão acaba de assumir como coordenadora de Treinamento e Serviço da Grapho, revenda Autodesk sediada em Porto Alegre.

Autodesk e Pitney Bowes: parceria em BIM

A Autodesk e a Pitney Bowes firmaram uma aliança para fornecimento de serviços e soluções coordenados com foco em empresas de arquitetura, engenharia e construção (AEC).

A parceria combina a especialização da Autodesk em soluções para projeto, engenharia, construção e BIM, com o expertise da Pitney Bowes em sistemas GIS.

Autodesk faz compra na área de BIM

A Autodesk acaba de adquirir a Horizontal Systems, provedora de soluções de colaboração para BIM (sigla em inglês para Modelagem de Informação da Construção) em nuvem para a indústria de arquitetura, engenharia e construção (AEC).

A tecnologia da companhia comprada será agregada à divisão Autodesk 360 para BIM, focada no gerenciamento de colaboração, dados e ciclo de vida de projetos de construção.

E se a Apple fabricasse termostatos?

Os conceitos que levaram a Apple a se tornar a empresa mais valiosa do mundo – aposta na consumerização, obsessão pelo design, inovação desruptiva – podem funcionar para produtos menos “sexys” do que reprodutores de mp3, smartphones e tablets?

Ao conhecer o caso da Nest, empresa criada pelo designer responsável pelo lançamento do iPod, produto que desatou a volta à ribalta da Apple em 2001, a resposta parece ser sim.