TRAVOU

AWS paralisa contrato da Microsoft no Pentágono

14/02/2020 10:37

Segue a briga das duas gigantes pela mega licitação de nuvem no valor de US$ 10 bilhões.

Deu problema no contrato da Microsoft. Foto: https://www.flickr.com/photos/jmarty/

Tamanho da fonte: -A+A

A AWS conseguiu uma decisão judicial bloqueando temporariamente o contrato de US$ 10 bilhões para serviços de computação em nuvem vencido pela Microsoft junto ao Pentágono.

Agora, a AWS deverá provar que a concorrente foi indevidamente favorecida na licitação, através da qual o Departamento de Defesa dos Estados Unidos deve comprar 10 anos de serviços de tecnologia.

Relembrando: a AWS era a franca favorita para levar o contrato, ao ponto de ter unido contra si virtualmente todo o setor de tecnologia, que acreditava que a licitação foi feita de tal forma a favorecer a companhia.

No final, no entanto, a Microsoft levou a parada. Rumores indicam que o presidente Donald Trump entrou em campo para evitar uma vitória de Jeff Bezos, de quem é inimigo pessoal.

A novela está longe de terminar. Na semana que vem, Larry Elisson, fundador da Oracle, está organizando um evento de captação de fundos para a campanha de reeleição de Trump. 

A Oracle é uma das empresas que mais reclamou do suposto favorecimento da AWS na licitação e Elisson um dos poucos amigos declarados de Trump no meio de tecnologia, que tende a apoiar o partido Democrata.

O Joint Enterprise Defense Infrastructure, conhecido pela sigla JEDI, vinha sendo disputado acirradamente desde que foi lançado, em 2018.

A licitação envolve a compra de serviços de nuvem e armazenamento de dados até inteligência artificial, machine learning e processamentos de dados de missão crítica por um período de 10 anos.

O contrato gerou muita polêmica, inicialmente por causa da fórmula “winner takes it all”, pela qual todos os serviços deveriam ser atribuídos a só um vencedor.

Microsoft, IBM Oracle, Dell e HP lideraram uma mobilização da indústria de TI por dividir a licitação, possibilitando mais de um vencedor, o que acabou não indo para frente.

Quando ficou claro que a disputa estava entre AWS e Microsoft, a Oracle começou um processo judicial, alegando que o processo teria sido feito sob medida para limitar o número de participantes, com participação direta de pessoas relacionadas com a AWS.

A via judicial não deu em nada. Foi quando o presidente Donald Trump entrou em campo.

Dois senadores republicanos influentes, Marco Rubio, da Flórida, e Ron Johnson, do Wisconsin, fizeram movimentos para atrasar o fechamento do contrato, alegando que houve pouca competição. 

O assunto chegou aos ouvidos de Trump, que é um inimigo declarado da Amazon. 

Isso porque Jeff Bezos, dono da Amazon e da AWS, é também proprietário do Washington Post, jornal que faz uma cobertura crítica do governo Trump e já foi alvo do presidente em diversas ocasiões, assim como a própria Amazon.

Já a co-CEO da Oracle, Safra Katz, é considerada próxima do governo Trump. A executiva foi inclusive parte do time de transição da nova administração, tendo sido considerada para uma posição de alto escalão. 

A Oracle certamente não colocou seu time em campo para a Microsoft levar o contrato, então alguma reviravolta ainda pode vir por aí.

Veja também

NUVEM
Microsoft leva contrato de US$ 10 bilhões do Pentágono

Decepção para a Oracle, que conseguiu derrubar a AWS, mas não levar o cliente.

MUDANÇA
UOL Diveo agora é Compasso e UD

Companhia se divide em frentes de transformação digital e data center.

PORTUGUÊS
Amazon premia novas skills para Alexa

Empresa lançou programa para incentivar brasileiros na criação de habilidades.

AMPLIAÇÃO
AWS vai investir R$ 1 bilhão no Brasil

Investimento será feito no data center de São Paulo, diz o governo do estado.

NOVA ERA
Troca no comando da IBM

Sai Ginni Rometty, entram líder de cloud Arvind Krishna e Jim Whitehurst, da Red Hat.

NUVEM
Google deveria comprar a Salesforce?

Para analistas de banco de investimento, seria a solução para decolar o Google Cloud.

SEDE
Mandic muda para GoWork

Os 250 funcionários agora trabalham no coworking da Av. Paulista.

FIDELIDADE
AWS tem novo plano de cobrança

Empresa pode fidelizar clientes com descontos para quem fecha acordos de um ou três anos.