CRISE

Investimento anjo deve escassear

14/04/2020 15:26

Pesquisa da Anjos do Brasil mostra investidores anjos menos dispostos apostar dinheiro em startups.

Investidor anjo: "Vou esperar para ver o que acontece". Foto: Swedish National Heritage Board.

Tamanho da fonte: -A+A

De acordo com uma pesquisa feita pela Anjos do Brasil com 109 investidores em 23 de março, 81% dos pesquisados afirma que concorda parcialmente ou totalmente que os empreendedores terão mais dificuldade de conseguir investimento anjo ou venture capital nos próximos 18 meses.

O número de respondentes que disseram "concordar totalmente" foi de longe o maior com 51% do total.

Questionados como a crise gerada pelo coronavírus afeta a predisposição de investir em startups 64% disseram que diminui a predisposição de investir. Outros 32% disseram que "não altera". E só 4% disseram que "aumenta a disposição em investir".

“Apesar dos dados indicarem uma tendência de diminuição no volume de investimento anjo em 2020, entendemos que os investidores anjo continuarão aportando e apoiando startups”, analisa Maria Rita Spina Bueno, diretora executiva da Anjos do Brasil, uma organização sem fins lucrativos de fomento ao investimento anjo e apoio ao empreendedorismo de inovação.

Uma outra pesquisa da Anjos do Brasil, no entanto, mostra que na verdade a disposição de gastar dos investidores anjo brasileiros já estava chegando no topo antes mesmo de todo o caos do coronavírus.

Em junho de 2019, a entidade divulgou um levantamento que indicava uma queda de volume de investimento do tipo de 0,4% em 2018, chegando a R$ 979 milhões no total.

Foi a primeira vez que o indicador tem uma queda, desde o começo do levantamento, em 2010. Ainda em 2017, o crescimento era de 16%.

Apesar de chegar perto do bilhão de reais, o volume de investimento no Brasil é apenas 1,2% do que é investido em startups nos Estados Unidos que somam aproximadamente U$ 23,1 bilhões anualmente.

“Se não for efetivada nenhuma medida que pelo menos equipare as condições com outros investimentos, podemos ter uma grande redução de investimentos em startups, o que é prejudicial para a retomada da atividade econômica pós-crise”, aponta Cassio Spina, presidente da Anjos do Brasil. 

Veja também

CORTES
Rock Content demite 20% da equipe

Empresa estava em alta, foi impactada pelo coronavírus e cortou cerca de 90 funcionários.

VENTURE CAPITAL
500 Startups tem novo sócio no Brasil

Flávio Dias, ex-CEO da Via Varejo, é investidor anjo em mais de 12 empresas.

TRANSIÇÃO
Saraiva vai deixar HPE para liderar Sqed

Há 14 anos na companhia, executivo vai assumir o posto de CEO da startup.

STARTUP
Bling quer aumentar pessoal em 70%

Nova sede será inaugurada para suportar crescimento da equipe em 2020.

SALTO
Keiretsu quer comprar startups de SaaS a rodo

Idéia é seguir os passos da Constellation Software, com um capital inicial de R$ 100 milhões.

CROWDFUNDING
Startup de vestidos de noiva capta R$ 650 mil

O Amor É Simples participou da rodada de investimentos da CapTable.

FINTECHS
Maioria das startups inicia com menos de R$ 500 mil

Visa divulgou dados sobre as inscritas em seu programa de aceleração.

STARTUP
Fishtag recebe R$ 1,8 milhão de investidores-anjo

Anjos do Brasil, GVAngels, Insead Angels e MIT Alumni Angels participaram da rodada.

JURÍDICO
MOL recebe aporte de US$ 3,5 milhões

A Redpoint eventures liderou a rodada, que também foi acompanhada pelo fundo brasileiro Canary.

INCENTIVO
Microsoft investe na Pack ID

Programa WE faz aportes de até R$ 5 milhões em startups que tenham pelo menos uma sócia mulher.

CENÁRIOS
Home office deve aumentar depois do coronavírus

CFOs pesquisados pelo Gartner querem que funcionários sigam trabalhando em casa.

DEMISSÕES
MaxMilhas corta 42% da equipe

Startup sentiu o impacto do coronavírus nas companhias aéreas: 167 foram demitidos.

CRISE
Gympass demite cerca de um terço

Cortes afetaram a área de TI no Brasil, que conta com cerca de 200 funcionários.