Planejamento é fundamental.

Você não é um bombeiro, mas tem a impressão de passar a vida apagando incêndios o tempo inteiro? Seu dia é correndo de um lado para o outro, de casa para o trabalho, depois para um curso, para a academia, cumprindo tarefas e chega exausto em casa sempre?

De repente, o que lhe falta não é tempo, mas planejamento. Estabelecer uma rotina saudável, que envolve momentos de reflexão – sim, sem ‘fazer nada’ – e as famosas oito horas de sono por dia são elementos fundamentais para a sua saúde a curto e longo prazo. Mas não só: também para um sólido desenvolvimento profissional.

Tudo sempre parece óbvio quando nos pegamos lendo estes textos sobre ‘mudanças de vida’. Sabemos que precisamos das oito horas de sono, ainda que frequentemente sejam elas as primeiras sacrificadas. O mesmo para o tempo de meditação ou, apenas de sentar e pensar na vida, em planos, em estabelecer metas e manter o foco sobre elas – não como resoluções de ano novo, mas como algo que requer uma estruturação realista para atingir os objetivos esperados. Como o planejamento estratégico que você faz em seu trabalho.

O estabelecimento e cumprimento destes itens – o sono e o planejamento – só funcionam a partir de uma rotina. Não tem jeito: precisamos dos rituais, da manutenção dos hábitos saudáveis da vida – o que não significa a exclusão dos momentos de chutar o balde, mas o equilíbrio entre uma coisa e outra – para que, em resumo, se viva melhor. Somos animais de hábitos.

A partir do momento em que aprendemos a focar no que consideramos importante e estabelecemos uma ordem de prioridade, fica mais fácil lidar com a rotina, que então, deixará de ser uma dor de cabeça. Na verdade, o hábito se torna tão importante e automático – no melhor sentido da palavra – que é justamente o que vai nos ajudar nas tarefas mais complicadas da lista, como o controle dos gastos ou, o que pode ser um tormento, ir à academia de ginástica todos os dias. Estas ideias não são novas e muitas pessoas de sucesso, em diferentes áreas profissionais e pessoais, seguem algum ritual antes de enfrentar seus maiores desafios.

Conceituado profissional de poker, Yuri Martins tem sua própria rotina para ficar no mindset campeão. Quando senta em sua cadeira para uma grande partida, se arruma, veste a melhor roupa, como se fosse a uma reunião de negócios – o que não deixa de ser, se pensarmos bem – e parte para a batalha. O ato de se vestir, colocar uma roupa adequada ainda que se esteja em casa, o permite se concentrar naquela atividade, como uma meditação ativa, uma preparação, o exercício que o cérebro precisa para aquele momento.

É também o que faz Arianna Huffington todas as manhãs. Ela precisa de trinta minutos, não importando como será seu dia, quantos compromissos terá, para meditar. Já Barack Obama não começa o dia sem antes cumprir sua cota de exercícios aeróbicos e de musculação.

Não tem muita escapatória: exemplos não faltam de relações de sucesso entre carreira, vida pessoal e a manutenção de hábitos saudáveis. E mais: digamos que não se ambicione um currículo de peso como os maiores magnatas do mundo, mas uma vida mais tranquila – em qualquer opção, para qualquer definição de sucesso, é preciso estabelecer e manter hábitos saudáveis sem deadline – ser perseverante.

Aliás, o planejamento orçamentário não foge à regra. Caso seu trabalho envolva qualquer coisa perto disso, você saberá que é preciso controlar os gastos e prestar contas periodicamente. O mesmo vale para nossos cartões de créditos, contas do mês e gastos extras.

Não precisa ser um ás da matemática para garantir a efetividade destes resultados, mas entender não precisamos ser reféns dos boletos e ter medo das faturas a cada início de mês. Nossos gastos são reflexos dos hábitos e aqui também, a única forma de se permitir aquela viagem dos sonhos, uma reforma ou o velho e conhecido sonho da casa própria, uma pequena compra por prazer é entendendo o que isso significa economicamente e como alcançar o objetivo sem ter pesadelos depois.

Cronograma, planejamento, controle de gastos – não é à toa que as pessoas costumam chamar este conjunto de ‘projeto de vida’. Funciona como uma gestão de projetos e não há desespero aqui – é de sua vida que você está falando e de como você entende ser a melhor forma de vivê-la.

Você pode curtir uma gincana de manhã ou ser pego de surpresa constantemente e perceber que é essa a adrenalina que te faz ‘parecer mais vivo’. O contrário também existe: ter todo o seu tempo estruturado mecanicamente e acreditar que este conta-gotas de horas planejadas é suficiente para a sua paz de espírito.

Não é preciso viver os extremos, mas entre eles: a vida não é um cumprimento de tarefas ou um atropelo de demandas quando tudo é prioridade e urgente. É apenas do equilíbrio, que se estabelece entre lazer, rotina e até os imprevistos de qualquer ordem – só assim será mais fácil cumpri-los e garantir os momentos de preguiça, lazer, meditação e tudo mais que você se permitir, sem perder o sono.