Arnaldo Neto. Foto: divulgação.

A Netscout, multinacional de soluções para segurança, promoveu uma reestruturação de seus negócios no Brasil após uma grande fusão global, em que se uniu a quatro marcas do segmento.

A mudança envolveu a incorporação da oferta das marcas Arbor (segurança), VSS (monitoramento de redes) e Tektronix (comunicações integradas) e parte da Fluke Networks (redes), resultado da união com a holding norte-americana Danaher, um negócio de US$ 2,6 bilhões realizado no ano passado.

Em relação a Fluke, a nova Danaher assumirá a divisão Enterprise, responsável pela fabricação dos equipamentos de teste de rede e monitoramento e a identidade. Já as soluções de certificação de cabeamento e os produtos de telecom permanecem com a Fluke, agora como uma unidade de negócios da Fluke Industrial, outra empresa do grupo.

Segundo dados da Bloomberg, o negócio entre as duas companhias internacionais resultará em uma supercompanhia com um faturamento anual de US$ 1,2 bilhão.

Segundo explica Arnaldo Neto, diretor de vendas da Netscout no Brasil, a chegada das novas marcas representa uma nova etapa para a empresa localmente, onde já atua desde 2003 e conta com 15 clientes, a maioria de grande porte.

"Com as novas marcas, estabelecemos uma presença mais assertiva no país e um portfólio de maior valor para diferentes clientes e setores, de forma integrada. Entraremos também em outras áreas como BI e ciberinteligência, mas isso é algo que veremos no ano que vem", adianta o executivo.

Das quatro novas marcas que se juntam à Netscout, que originalmente atende demandas de monitoramento de rede e apps, três delas já tinham presença local - Arbor e Techtronix tinham parceiros que importavam produtos e a Fluke tinha operação local.

De acordo com Neto, a operação brasileira da Fluke, que contava com cinco funcionários, foi totalmente absorvida pela unidade da Netscout em São Paulo, duplicando o número total de funcionários da multinacional no país.

Globalmente, ao unir suas operações com as quatro novas marcas, a multinacional triplicou sua base de colaboradores para 3 mil.

Com a reformulação, outro ponto de interesse da Netscout é passar a atender clientes de médio porte, uma fatia de mercado que ainda não faz parte da carteira da multinacional.

"Nosso público atual é grandes corporações e telecoms. Marcas como a Fluke poderão servir como a porta de entrada para prospectar empresas com estruturas abaixo de mil funcionários", avalia Neto.

A parte de canais também terá mudanças com a nova estrutura da Netscout, conforme aponta o diretor. Atualmente cerca de 20 canais da companhia já foram capacitados e certificados para ofertar soluções das novas marcas.

"É uma área em que mais estamos destinando recursos. Nos próximos meses, esperamos treinar e incluir novos canais qualificados para esta nova oferta integrada", finaliza Neto.