HÍBRIDOS

VMware e AWS juntas na nuvem

14/10/2016 17:05

Andy Jassy e Pat Gelsinger.

Tamanho da fonte: -A+A

A WMware e Amazon Web Services fecharam um acordo para lançar um serviço de nuvem híbrida.

Na chamada VMWare Cloud on AWS será possível rodar os softwares de virtualização de servidores, armazenamento e redes da VMware em infraestrutura dedicada e customizada da AWS.

"É uma combinação do melhor da nuvem privada e pública", resume Pat Gelsinger, CEO da VMWare.

A novidade ainda está em fase de preview, com betas para convidados disponíveis só a partir do começo do ano que vem.

Esse é o segundo acordo desse tipo da VMware. O primeiro foi fechado em fevereiro com a IBM.  Hoje 1 mil clientes já transferiram seus ambientes VMware para a nuvem Softlayer da IBM.

Acordos como esses são uma mudança de postura da VMware, que ainda em 2013 se propunha a ser a "dona" dos workloads corporativos, competindo de frente principalmente com a Amazon.

Segundo uma pesquisa da Synergy Research Group, a empresa tem sozinha 31% do mercado de infraestrutura na nuvem, seguida por Microsoft (11%), IBM (8%) e Google (5%). 

Apesar da dominância na nuvem pública, bater de frente com a VMware também não era um bom negócio para a AWS, uma vez que a maioria do processamento de dados ainda é feito em ambientes tradicionais e deve ser feito de maneira híbrida no futuro.

"As empresas querem usar o mesmo software que elas usam on premise também na nuvem", afirma Andy Jassy, CEO da AWS.

De acordo com dados da VMware, só 73% das cargas de trabalho é processado em ambientes de TI tradicionais. Outros 12% são feitos em nuvens privadas e 15% em nuvens públicas.

A projeção é que em 2021 a distribuição seja 50%, 20% e 30%. Só a partir de 2030 o jogo vira, com nuvem pública com 52%, privada com 29% e apenas 19% nos ambientes tradicionais.

A transição está em curso. De acordo com os dados da VMware, 2016 foi o primeiro ano no qual provedores de serviço investiram mais em data centers do que as empresas individualmente.

O acordo transforma a VMware em uma grande revenda da AWS, ao mesmo tempo em que reforça o seu posicionamento como um provedore de tecnologia para data center definido por software.

O negócio tem repercussões para todo o ecossistema de tecnologia.

A AWS se fortalece contra a Microsoft, segunda colocada no mercado de nuvem pública e também ela dona de uma combinação de infra e software.

Outras companhias com ofertas para nuvem privada, como HPE e Red Hat podem ser obrigadas a fechar acordos parecidos.

Finalmente, a Oracle, que no último Oracle Open World abriu uma guerra de preços contra a AWS e esperava ganhar share oferecendo o stack completo de tecnologia e integração de nuvem híbrida, fica com o argumento um pouco enfraquecido.

Veja também

SERVIÇOS
GoDaddy entra na corrida pela nuvem

Plano é oferecer máquinas virtuais em que os usuários possam rodar softwares nos sites.

JOYENT
Samsung compra competidora da AWS

A Joyent continuará operando como uma subsidiária independente da Samsung.

NUVEM
IBM mira mercado de cloud brokerage

Empresa vai usar uma oferta de TI como serviço como porta de entrada para os provedores de nuvem.

FUSÃO
Dell + EMC: como fica o Brasil

A Dell anunciou nesta semana a conclusão da compra da EMC por US$ 60 bilhões.