Fabrício Bloisi. Foto: divulgação.

A Movile, empresa brasileira especializada em m-commerce e plataformas móveis, recebeu um novo aporte da Naspers, fundo acionista da companhia desde 2008. Desta vez, o valor do aporte foi de R$ 125 milhões.

Segundo destacou a empresa em nota, o valor será destinado à aceleração dos negócios da empresa no setor de O2O (Online to Offline), mirando transações que têm início no universo online e são finalizadas com o recebimento de produtos ou serviços no mundo físico.

Outro ponto de investimento com o novo aporte serão as operações que a companhia adquiriu participação no ano passado, como o Apontador (busca e avaliações de negócios locais), Maplink (geolocalização) e CinePapaya (venda de tickets online). 

O PlayKids, aplicativo com foco em crianças de até 5 anos e cujos conteúdos educacional e de entretenimento, também será contemplado, focando na sua expansão para o mercado internacional - no final de 2014 o aplicativo foi lançado na China.

Além destas aplicações, o iFood continuará sendo um dos focos de crescimento da companhia e deverá receber investimento. A plataforma de solicitação de comida cresceu 300% entre janeiro e agosto de 2014, conquistando uma fatia de 80% do segmento de e-delivery no Brasil.

Segundo Fabricio Bloisi, CEO da Movile, o investimento sinaliza o crescimento da empresa na América Latina e também em outras regiões. 

"Após nos estabelecermos como líderes de mercado no Brasil, por meio de uma variedade de verticais do comércio móvel, entramos agressivamente em outros novos mercados. O resultado disso é que nossos produtos têm sido posicionados para um crescimento global”, afirma o CEO.

Este é o segundo aporte de mais de R$ 100 milhões que a Movile recebe em menos de um ano. Em agosto do ano passado, a empresa recebeu um aporte de R$ 125 milhões em uma nova rodada de investimento liderada pelo fundo Innova Capital e pela Finep, agência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. 

O plano, conforme destacou Bloisi para o Baguete em entrevista no final de 2014, é buscar uma expansão de 50% ao ano até 2019, fortalecendo a marca e ganhando espaço no mercado internacional, onde a empresa já conta com um escritório no Vale do Silício e outros nove na América Latina.

Na época a empresa anunciou planos de investir R$ 100 milhões na compra de oito companhias até o final de 2015. O plano é criar um novo ciclo de crescimento a partir das aquisições. 

O momento é propício: a empresa registrou nos últimos cinco anos um crescimento anual de 70%. Em balanço divulgado em julho, a empresa teve uma receita de R$ 174 milhões de março de 2013 a março de 2014.

O aporte coincide com o notável crescimento do comércio mobile em todo o mundo. Segundo o grupo financeiro Goldman Sachs, as vendas por meio de aparelhos móveis devem atingir US$ 626 bilhões até 2018. 

Na América Latina, a penetração brasileira na internet móvel cresceu 244%, enquanto o comércio móvel dobrou sua participação no mercado em relação a 2013.