Pedro Englert, CEO da StartSe. Foto: Divulgação.

A StartSe, empresa de educação executiva continuada, vai inaugurar nos próximos dias a StartSe University, unidade educacional da companhia no Vale do Silício, nos Estados Unidos. 

O local irá oferecer aulas para brasileiros e estrangeiros que queiram estudar temas vinculados à Nova Economia. O objetivo é atender 1 mil alunos ainda neste ano e 3 mil em 2020.

Para financiar seu primeiro ano de funcionamento, a StartSe está investindo R$ 5 milhões, o maior aporte feito até hoje pela empresa. 

O espaço, de aproximadamente 500 metros quadrados, terá uma sala de aula para 100 pessoas, uma área dedicada a novas tecnologias, que poderão ser experimentadas pelos alunos, e um laboratório de inteligência artificial em parceria com a Olivia, startup fundada no Vale do Silício prestes a iniciar operação no Brasil.

Em dois anos, 100 mil pessoas passaram pelos cursos, programas e eventos da StartSe.

“Nosso propósito é criar novos começos. Ensinamos as ferramentas, recursos e mindset que as pessoas e empresas precisam para navegar nesse novo mundo. No passado as pessoas perguntavam onde você estudou; hoje a pergunta certa é de que forma você se desenvolve?”, explica Pedro Englert, CEO da StartSe.

Em 2015, quando foi criada, a StartSe oferecia apenas o curso Startup de A a Z, que custava R$ 30 tinha duração de duas horas. As aulas eram dadas pelo então estudioso do assunto Junior Borneli, a partir da sala de sua casa, no interior de Minas Gerais. 

No ano seguinte, Junior se juntou a ex-sócios da XP, Marcelo Maisonnave, Pedro Englert, Eduardo Glitz e Maurício Benvenutti. O curso inicial segue na grade da StartSe até hoje. 

Com sede no Vale do Silício e filiais em São Paulo e em Xangai, a StartSe criou no ano passado uma grade de 16 eventos para diferentes indústrias – de educação a finanças - e 25 cursos presenciais. Neste ano, a companhia lançou seu primeiro curso digital focado no mercado global, o Fintech Revolution.