Marco Fisbhen, fundador e CEO do Descomplica. Foto: Reprodução.

O Descomplica, que promove aulas online, recebeu um aporte financeiro de US$ 7 milhões liderado pelo fundo de investimento global Amadeus Capital Partners. Investidores anteriores, como a Social+Capital Partnership e o Grupo Valor Capital, também participaram do financiamento.   

O investimento será utilizado para a expansão do catálogo de conteúdo pedagógico e para lançar novos produtos e serviços. 

O Descomplica atingiu sete milhões de estudantes únicos em abril. Um dia antes do ENEM, em novembro de 2014, reuniu 250 mil alunos em uma aula online ao vivo.

“Nossa principal concorrência é a falta de engajamento do aluno. Portanto, o objetivo do nosso trabalho é motivar os estudantes. Para isso, ofertamos um conteúdo estimulante e de alta qualidade. Esse investimento nos possibilitará desenvolver mais conteúdo para nossos alunos, expandir nossa gama de produtos, e empregar diferentes canais de distribuição”, explica o fundador e CEO do Descomplica, Marco Fisbhen.

Para Pat Burtis, sócio do fundo Amadeus e que com o investimento passa a integrar o conselho de diretores do Descomplica, a empresa conseguiu realizar ações impressionantes em um curto período de tempo.

“A companhia se tornou rapidamente uma marca confiável, verdadeiramente nacional de educação no Brasil e praticamente única entre as companhias de tecnologia para educação, desenvolvendo um modelo de negócios sustentável", relata.

O Descomplica, fundado em 2011, praticamente triplicou sua receita em 2014 e espera repetir o feito em 2015, mas não divulga valores. A empresa emprega um modelo de inscrição "freemium".

Através de aulas diárias ao vivo e um catálogo de cursos que ultrapassa 15 mil vídeos, os professores do Descomplica auxiliam estudantes com praticamente todas as disciplinas do currículo padrão do ensino médio brasileiro. O principal produto da companhia prepara os estudantes para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

O Amadeus Capital Partners é focado em investimentos em tecnologia. Desde sua criação, em 1997, a empresa levantou mais de US$ 1 bilhão para investimentos e financiou em torno de 100 companhias nos setores de software, mobilidade, internet, segurança cibernética e tecnologia médica.